Esportes

América-MG tem estreia melancólica na Copa Libertadores

O empate por 0 a 0 seguia até o fim da partida, no minuto final, em chute fraco de Colmán

Da Redação ·
Imagem ilustrativa da notícia América-MG tem estreia melancólica na Copa Libertadores
fonte: Mourão Panda / América

A pressão foi grande, a torcida apoiou, mas a estreia do América-MG na Copa Libertadores terminou de forma melancólica. Nesta quarta-feira à noite, na sua primeira partida da história no principal campeonato sul-americano, o time mineiro recebeu o Guaraní, do Paraguai, no estádio Independência, em Belo Horizonte (MG). O empate por 0 a 0 seguia até o fim da partida, no minuto final, em chute fraco de Colmán, a bola desviou na defesa e impediu que Jailson fizesse a defesa.

continua após publicidade

Os times voltam a se enfrentar na próxima quarta-feira, no estádio Defensores del Chaco, em Assunção no Paraguai. Como o Campeonato Mineiro não terá rodada neste fim de semana de carnaval, o América terá uma semana para se preparar para o duelo decisivo. Para avançar, precisará vencer por dois gols de diferença. Se vencer por um gol, a decisão será nos pênaltis. O Guaraní joga pelo Campeonato Paraguaio no sábado, contra o Resistência. Em três rodadas, o time conquistou apenas um empate.

A estreia do América foi cercada de expectativa. A torcida, contudo, teve muita dificuldade para acessar o estádio Independência e durante boa parte do primeiro tempo o movimento nas catracas ainda era intenso, o que gerou muitas reclamações. Ao fim da partida, os torcedores reconheceram o bom desempenho do time e aplaudiram os jogadores.

continua após publicidade

Com a bola rolando, o América teve amplo domínio da posse de bola - 71% nos 45 minutos iniciais - e teve duas grandes chances de marcar. O capitão Juninho deu um chapéu no marcador e chutou de primeira. A bola parou no travessão. Depois, Wellington Paulista chegou a tirar do goleiro, mas a zaga salvou próximo da linha.

Na sequência do primeiro tempo, o Guarani ajustou a marcação e o América passou a tentar bolas aéreas, sem sucesso. Catimbeira, a equipe paraguaia também parou por diversas vezes a partida em lances de falta, o que irritou bastante os jogadores do América. Ao fim do primeiro tempo, contudo, era o time da casa que tinha dois atletas amarelados: o lateral-direito Patric e o zagueiro Eder.

A pressão brasileira seguiu no segundo tempo. O time parou de tentar as bolas no alto e, de toque em toque, passou a bombardear a meta de Vásquez. As alterações ofensivas mantiveram o ritmo e o volante Juninho, com liberdade para chegar à área, também voltou a arrematar com perigo. O Guaraní seguiu satisfeito com o empate, mas acabou tendo a melhor chance da partida quando Samudio cruzou para Marcelo Gonzalez. O cabeceio do meia bateu na trave esquerda de Jailson antes de sair pela linha de fundo e, por instantes, silenciar o Independência. No final saiu o gol, em um chute desviado aos 45 minutos.

continua após publicidade

FICHA TÉCNICA

AMÉRICA-MG 0 X 1 GUARANÍ-PAR

AMÉRICA-MG - Joilson; Patric (Rodolfo), Iago Maidana, Éder e Marlon; Lucas Kal, Juninho, Juan Ramírez (Pedrinho) e Matheusinho (Henrique Almeida); Felipe Azevedo (Everaldo) e Wellington Paulista (Cáceres). Técnico: Marquinhos Santos

continua após publicidade

GUARANÍ-PAR - Vásquez; Rodi Ferreira, Marcos Cáceres (Julio González), Roberto Fernández e Guillermo Benitez; Mendoza (Bareiro), Rodrigo Fernández e Marcelo Gonzalez; Colmán, Jose Nuñez (Samudio) e Fernando Fernández (Ángel Benítez). Técnico: Fernando Jubero

GOL - Colmán, aos 45 minutos do segundo tempo.

continua após publicidade

ÁRBITRO - Wilmar Roldán (COL)

CARTÕES AMARELOS - Patric e Éder (América-MG) ; Ángel Benítez e Samudio (Guaraní)

RENDA E PÚBLICO - Não disponíveis.

LOCAL - Arena Independência, em Belo Horizonte (MG).

Tags relacionadas: #Libertadores