Esportes

Alex Sandro fala da concorrência na lateral esquerda da seleção: 'Disputa sadia'

Da Redação ·

Titular da lateral esquerda nos últimos jogos da seleção brasileira, Alex Sandro foi o primeiro escalado para conversar com a imprensa nesta Data Fifa de outubro. Na noite de segunda-feira, o jogador da Juventus, da Itália, falou sobre a concorrência na sua posição, os próximos compromissos da equipe e a chance de carimbar uma vaga na Copa do Mundo de 2022 o quanto antes.

continua após publicidade

Com 30 jogos pela seleção brasileira no currículo, Alex Sandro sabe bem o que é a disputa pela posição de titular da lateral esquerda. Atualmente, tem a companhia de Guilherme Arana (Atlético-MG) na equipe, mas também já conviveu com Renan Lodi (Atlético de Madrid), Filipe Luis (Flamengo), Marcelo (Real Madrid) e tantos outros nomes.

"Não só na lateral esquerda, mas em todas as posições, é sempre bem difícil, mas também bem saudável a disputa por posições na seleção brasileira. Temos ótimos jogadores, podemos citar de quatro a cinco nomes em cada posição. Me sinto bem, os outros laterais estão muito bem em seus clubes e, quando vêm para a Seleção, demonstram seus valores. A disputa entre nós é sadia, procuramos sempre demonstrar o nosso melhor", disse.

continua após publicidade

Experiente, o lateral de 30 anos sabe que, no futebol, o importante é pensar sempre no próximo jogo, segundo ele mesmo definiu. Mesmo que o Brasil tenha 100% de aproveitamento até aqui nestas Eliminatórias da Copa do Mundo, o adversário seguinte sempre é o mais importante. No caso, o próximo jogo da seleção brasileira será contra a Venezuela, nesta quinta-feira, em Caracas.

"Independentemente de onde a Venezuela está na classificação hoje, é uma seleção que sempre jogou duro, tem suas qualidades. Respeitamos todos, seja aquele que está em último ou na ponta da tabela. O respeito é igual. Vamos procurar fazer o nosso máximo", comentou.

Para isso, Alex Sandro sabe que é preciso driblar alguns obstáculos. Um deles é o pouco tempo de treinamento que as seleções têm para se preparar para os jogos. "A comissão tem que fazer um ótimo trabalho para poder preparar da melhor forma a equipe, porque temos jogos em dias diferentes, em países diferentes, dias de chegada diferentes. Mas durante todo esse período com essa comissão eles têm trabalhado muito bem na questão de preparação, recuperação dos jogadores, viagens, jogos... O calendário está bem puxado, a comissão técnica está fazendo um ótimo trabalho em cima disso", afirmou.

O jogo do Brasil contra a Venezuela nesta quinta-feira será às 20h30 (de Brasília). Na sequência, a seleção tem pela frente Colômbia e Uruguai. A partida contra os colombianos será no domingo, em Barranquilla, às 18 horas, enquanto que o duelo com os uruguaios está marcado para as 21h30 do dia 14, na Arena Amazônia, em Manaus.