Esportes

Abel diz que Palmeiras pode se igualar ao Chelsea na valentia e convida Guardiola

Da Redação ·

Na longa e interessante entrevista de Abel Ferreira nesta sexta-feira, véspera da final do Mundial de Clubes, o técnico português não fez apenas sua projeção sobre a decisão do Palmeiras com o Chelsea em Adu Dabi, marcada para este sábado, no Mohammed Bin Zayed Stadium. Em um contexto mais amplo, o treinador palmeirense deu sua opinião sobre a visão dos clubes europeus a respeito das equipes brasileiras.

continua após publicidade

Abel reconheceu o maior poderio econômico do Chelsea, mas afirmou ser possível se equiparar ao rival inglês na vontade, dedicação e intensidade.

"Vamos entrar no que somos bons, na coragem, na valentia, com a bola ter coragem para impor nosso jogo, fintar, driblar, dar mais que um toque. Que os jogadores tenham a cabeça em paz para colocar tudo a serviço do coletivo. Juntar o talento com o trabalho, porque aí seguramente a vitória fica mais próxima", enfatizou Abel. "Parece complicado, mas não é. Não sei se vamos ganhar ou não, mas eu e eles sabemos o que temos de fazer", emendou.

continua após publicidade

A comparação entre europeus e sul-americanos e uma gafe cometida por Pep Guardiola suscitaram um convite inusitado. Bem-humorado, o português convidou o colega espanhol para um jantar em que possam falar sobre futebol. Recentemente, o técnico do Manchester City errou ao dizer que o River Plate era o atual campeão da Libertadores sem saber que o vencedor das duas últimas edições do torneio sul-americano é o Palmeiras.

"Os europeus conhecem muito bem a América do Sul, tanto que compram em grande quantidade. Sei do que falo. Admiro muito o Guardiola, acredito que não tenha tempo, porque está muito focado em ganhar a Liga dos Campeões, porque é das melhores equipes do mundo. Eu o convido a ver o jogo e conhecer o Palmeiras. Ele tem um jogador que seu time comprou do Palmeiras (Gabriel Jesus), e posso dizer a ele para estar atento, que temos mais e de grande qualidade", afirmou, sorrindo o português.

"Como sei que ele gosta de conhecer pessoas novas e eu também gosto, se ele um dia puder almoçar ou jantar comigo, vai ser um gosto para partilhar uma bolas e ver se aprendi alguma coisa", acrescentou.

continua após publicidade

Abel sempre gosta de dizer - e disse mais uma vez - que deixa que a imprensa aponte o favorito. Mas indicou que esse rótulo está com o Chelsea, o clube mais rico que investiu mais de 600 milhões de euros para montar o elenco campeão europeu.

"Estamos a dizer, o Guardiola ainda ontem ou há dois dias, falou que o Chelsea era uma das melhores equipes do mundo, porque ganhou a Liga dos Campeões. É a segunda no campeonato em que compete, a Premier League, contra o Manchester City a voar", analisou.

"Mas no que diz respeito aos valores universais, competitividade, organização, competitividade coletiva, estamos no nível dos melhores do mundo, com o mesmo propósito, que é vencer", ponderou o luso.

Abel espera que o técnico do Chelsea, Tomas Tuchel, teste negativo para a covid-19 e possa estar perto dele, à beira do gramado na decisão do Mundial. Caso o alemão nao possa viajar a Abu Dabi, ele entende que isso não é uma vantagem ao Palmeiras. "Se o jogo tiver prorrogação (o dia a mais sem jogo) pode fazer diferença. Mas só assim".