Esportes

Abel Braga volta ao Fluminense diuzendo que 'dará coisas boas' para a torcida

Da Redação ·

Abel Braga já ganhou importantes títulos no Fluminense, como o Brasileirão de 2012, mas ainda se sente em dívida com o torcedor do clube e promete das alegrias nesta quarta passagem comandando a equipe. Otimista, ele buscará taças na próxima temporada como forma de gratidão pelo carinho recebido, sobretudo após a morte do filho.

continua após publicidade

Em agosto de 2017, uma semana após a morte do filho João Pedro, o treinador voltou à beira do campo, no Maracanã, em jogo diante do Atlético-GO. Vivendo o pior momento de sua vida, ele foi abraçado pelas arquibancadas lotadas, se emocionou e agora espera transformar sua gratidão por aquele ato em taças.

"Eu tenho uma relação muito legal com o torcedor. Eles fizeram o minuto de silêncio mais bonito da história do futebol, quando perdi meu filho. E eu vou dar alguma coisa para eles de novo", garantiu o treinador à TV Flu. "Pelo menos orgulho de poder dizer 'eu sou tricolor'. Isso eu garanto."

continua após publicidade

Na última passagem pelo Fluminense, Abel ganhou a Taça Guanabara de 2017 e a Taça Rio de 2018. Ele afirma ter estudado, adquirido mais conhecimentos para buscar coisas maiores. E promete ao torcedor que será um técnico bem diferente no comando do time em 2022.

"Não pensem que vão ver o mesmo Abel de 2018, de 2011 ou 2012, porque não vão. Sou completamente diferente. Vão ver algo que pode surpreender", cravou. "Tenho muita consciência do que é isso aqui. E o atleta também tem que ter, isso é muito importante. O Fluminense está completo enquanto estrutura. Estou muito empolgado, e como é bom se sentir assim. É muito bom", disse, ao conhecer as novas dependências do clube.

Felipe Melo será um dos reforços de Abel em 2022. O volante será seu líder em campo. O treinador, porém, indicou outras contratações para colocar o Fluminense em igualdade com os gigantes do País. O atacante Ricardo Goulart é um dos sonhos, assim como o zagueiro Dedé, enquanto Patrick, do Inter, surge como opção mais difícil.