Esportes

Brasil empata com Paraguai e tem pior início na Copa América desde 1993

Da Redação ·
Apostas de Mano, Jadson e Fred marcaram no empate em 2 a 2 com Paraguai
fonte: Adalberto Marques / Agif/Gazeta Press
Apostas de Mano, Jadson e Fred marcaram no empate em 2 a 2 com Paraguai

Após a estreia decepcionante no empate sem gols contra a Venezuela, a seleção brasileira teve outra atuação ruim e arrancou o empate por 2 a 2 contra o Paraguai neste sábado (9) pela 2ª rodada do grupo B em Córdoba, na Argentina. Na última rodada, o Brasil vai encarar o Equador e precisa de uma vitória para garantir a classificação sem sustos para as quartas de final.

continua após publicidade

Este é o pior início de Copa América desde a edição de 1993 da competição, quando o Brasil empatou a primeira partida com o Peru e perdeu a segunda partida da Colômbia. Naquele ano, no entanto, o Brasil, cujo time era comandado por Carlos Alberto Parreira e só tinha o goleiro Tafarel como titular em campo, foi eliminado pela Argentina nas quartas de final do torneio.

O primeiro gol do Brasil veio dos pés da aposta do treinador brasileiro, Jadson, que substituiu o atacante Robinho. No entanto, Roque Santa Cruz e Haedo Valdez marcaram no segundo tempo e viraram para os paraguaios. Fred, que saiu do banco e entrou no lugar de Neymar, empatou nos acréscimos.

continua após publicidade

Com o resultado, o Brasil ficou com dois pontos e provisoriamente está na liderança do grupo B – Equador e Venezuela se enfrentam ainda neste sábado e podem ultrapassar a seleção brasileira. Na 3ª rodada, às 21h45 da próxima quarta-feira (13), o Brasil vai encarar o Equador para se garantir na fase do mata-mata.

O jogo

Desde a escalação do time que enfrentaria o Paraguai, o técnico Mano Menezes surpreendeu ao sacar o atacante Robinho e colocar o meia Jadson em campo.

continua após publicidade

Se a intenção foi dar mais volume de jogo ao meio campo, o treinador conseguiu, sobretudo no início do jogo, quando o meia trocava passes seguidos com Ganso. Neymar também dava trabalho pela ponta esquerda, quando partia para o drible sobre os defensores paraguaios.

Apesar da maior posse de bola do Brasil, até os 25min, os dois times tiveram apenas uma chance de gol cada um – Roque Santa Cruz, que arrematou por cima do gol de Júlio César, e Alexandre Pato, que parou nos braços do goleiro Villar.

Com exceção dos lançamentos de Thiago Silva para Pato, todas as tentativas brasileiras passavam pelo meio. Aposta de Mano Menezes, Jadson, no entanto, passou a errar passes fáceis e, aos 32min, tomou um cartão amarelo após deixar a sola para um defensor paraguaio. Cinco minutos depois, inclusive, o meia poderia ter sido expulso após falta em Lucas Barrios, mas o árbitro o poupou.

continua após publicidade

A torcida percebeu o mal momento do meia e começou a vaiá-lo, mas Jadson não desanimou e, aos 38min, abriu o placar para o Brasil. O volante Ramires disputou bola e ganhou, passou para Ganso, que, por sua vez, rolou para o jogador do Shaktar Donetsk, da Ucrânia. Com um toque, ele ajeitou e arrematou de fora da área. A bola foi no canto direito de Villar, que nada conseguiu fazer para defender.

Na segunda etapa, Mano sacou o autor do gol, que tinha cartão amarelo, para a entrada de Elano. A mudança não mexeu no esquema tático da seleção brasileira, que chegou ao gol paraguaio com Neymar, aos 9min. O atacante santista, no entanto, chutou para fora.  

continua após publicidade

Um minuto depois, veio o castigo. O Paraguai avançou pela esquerda, a zaga brasileira cochilou, e o atacante Roque Santa Cruz empatou a partida.

Depois do gol, o Brasil piorou em campo e só voltou a ameaçar aos 20min, quando Neymar recebeu ótimo passe na área e tentou driblar o goleiro Villar. O arqueiro, no entanto, impediu o tento.

Dois minutos depois, o Brasil conheceu o sentido do ditado do futebol “quem não faz toma”. Em outra falha da defesa, Daniel Alves perdeu a bola dentro da área para o ataque paraguaio. Haedo Valdez recebeu e arriscou. A bola parou em Lúcio, mas voltou para o atacante paraguaio, que, sem querer, virou para o Paraguai.

continua após publicidade

Mano Menezes tentou reverter o resultado com a entrada de Lucas, jogador do São Paulo, que substituiu Ramires. No entanto, a alteração não surtiu efeito. Mais tarde, aos 36min, o treinador sacou Neymar para a entrada de Fred. De novo, parecia que nada iria mudar, mas o atacante do Fluminense foi fundamental para salvar o Brasil de um péssimo resultado.

O centroavante recebeu passe de Paulo Henrique Ganso e, dentro da área, chutou para vencer o goleiro Villar e empatar a partida.

FICHA TÉCNICA - BRASIL 2 X 2 PARAGUAI

Local: Estádio Mario Alberto Kempes, em Córdoba (Argentina)
Data: 9 de julho de 2011, sábado
Horário: 16 horas (de Brasília)
Árbitro: Wilmar Rodán (Colômbia)
Assistentes: Humberto Clavijo (Colômbia) e Francisco Mondria (Chile)
Cartões amarelos: Jadson, Pato, Lucas Leiva e Daniel Alves (Brasil); Barrios e Victor Cáceres (Paraguai)

Gols:
BRASIL: Jadson, aos 40 minutos do primeiro tempo; Fred, aos 45 minutos do segundo tempo
PARAGUAI: Santa Cruz, aos 11, e Valdez, aos 22 minutos do segundo tempo

BRASIL: Júlio César; Daniel Alves, Lúcio, Thiago Silva e André Santos; Lucas Leiva, Ramires (Lucas), Jadson (Elano) e Ganso; Neymar (Fred) e Pato
Técnico: Mano Menezes

PARAGUAI: Villar; Verón, Da Silva, Alcaraz e Torres; Vera, Ortigoza, Riveros (Victor Cáceres) e Estigarribia (Osvaldo Martínez); Santa Cruz e Barrios (Valdez)
Técnico: Gerardo Martino