Esportes

Cruzeiro encarna estilo Joel e supera Vasco

Da Redação ·
 O Vasco parou na marcação do Cruzeiro, que foi letal nos contra-ataques
fonte: Ricardo Ramos/Gazeta Press
O Vasco parou na marcação do Cruzeiro, que foi letal nos contra-ataques

Vencer em São Januário faz parte da carreira de Joel Santana, formado na Colina como jogador e treinador. Contudo, desta vez o resultado não agradou em nada aos vascaínos. Em seu segundo jogo pelo Cruzeiro, o comandante manteve os 100% de aproveitamento ao assistir seu time derrotar o Vasco por 3 a 0, na noite desta quarta-feira (29).

continua após publicidade

O resultado aliviou de vez o clima na Toca da Raposa, pesado desde a demissão de Cuca, na semana passada. A equipe, com o segundo triunfo consecutivo, chegou aos nove pontos.

Para isso, abandonou de vez o estilo do antigo treinador, mais ofensivo, e começou a ter a cara de Joel. Famoso por armar fortes defesas, o Cruzeiro foi a campo cheio de cuidados defensivos e chegou aos seus gols por meio da bola parada e dos contra-ataques.

continua após publicidade

Já o Vasco demonstrou desespero com a retranca celeste e pouco criou, irritando os torcedores presentes. O revés em casa mantém a equipe com 11 pontos e ainda afastada dos líderes.

Os dois clubes voltam a jogar na próxima quarta-feira (6). No Pacaembu, o Vasco enfrenta o Corinthians, às 21h50. Mais cedo, às 19h30, o Cruzeiro recebe o Grêmio, em Sete Lagoas (MG).

Atuando em casa, o Vasco tomou a esperada iniciativa, mas encontrou bastante dificuldades para superar a retranca cruzeirense. Com os meias Felipe e Diego Souza bem marcados, Eder Luis passou a recuar para buscar a bola e tornou-se na melhor opção dos cariocas na primeira etapa.

continua após publicidade

Contudo, o atacante pecou nas finalizações, dando a impressão de estar afobado. O mesmo ocorreu do lado celeste com Wallyson, válvula de escape da equipe e único a levar perigo nos contra-ataques, mas caprichando pouco nos arremates.

Nesse quadro, a única jogada que realmente levou perigo surgiu nos pés de Eder Luis. Aos 11min, Diego Souza deu bom passe para o atacante, que entrou na área e driblou o goleiro Fabio. Porém, tentou tirar muito de Gil no chute cruzado e, mesmo sem goleiro, mandou para fora.

Depois disso, apenas Wallyson movimentou a partida, em raro ataque cruzeirense. Aos 32min, o jogador fez fila e invadiu a área, mas o cruzamento rasteiro em busca de Thiago Ribeiro parou nas mãos de Fernando Prass.

continua após publicidade

Na segunda etapa o panorama não mudou. Ou melhor, piorou para os vascaínos. Aos 9min, Montillo cobrou escanteio e Leandro Guerreiro subiu livre para marcar de cabeça.

A partir daí, o Cruzeiro se fechou mais ainda. O Vasco, nervoso como o seu torcedor, não teve criatividade para superar a retranca celeste e passou o restante da partida reclamando com a arbitragem da cera mineira.

continua após publicidade

No fim, em dois contra-ataques, os visitantes liquidaram o jogo. Aos 44min, Montillo, em contra-ataque, fez lindo gol após dar drible entre as pernas de Dedé. Dois minutos depois, Roger, que tinha acabado de substituir o argentino, fechou o placar em cobrança de pênalti.

FICHA TÉCNICA
VASCO X CRUZEIRO

Local: São Januário, no Rio de Janeiro (RJ)
Data: 29 de junho de 2011 (quarta-feira)
Horário: 19h30
Árbitro: Arilson Bispo da Anunciação (BA)
Assistentes: Alessandro Rocha de Matos (Fifa-BA) e Luiz Carlos Teixeira (BA)
Cartões amarelos: Marcio Careca, Felipe, Elton, Leandro (V); Vitor, Thiago Ribeiro, Marquinhos Paraná (C)
Gols: CRUZEIRO: Leandro Guerreiro, aos 9min, Montillo, aos 44min, Roger, aos 46min do segundo tempo

VASCO: Fernando Prass; Fagner, Dedé, Anderson Martins e Márcio Careca (Ramon); Eduardo Costa (Leandro), Rômulo, Felipe e Diego Souza; Eder Luis e Alecsandro (Elton)
Técnico: Ricardo Gomes

CRUZEIRO: Fábio; Vitor, Naldo, Gil e Diego Renan; Leandro Guerreiro, Fabrício, Marquinhos Paraná e Montillo (Roger); Wallyson (Ortigoza) e Thiago Ribeiro (Dudu)
Técnico: Joel Santana