Esportes

"Gato" Sheik é bombardeado na chegada

Da Redação ·
Emerson fez exames na segunda e foi apresentado nesta terça
fonte: Daniel Augusto Jr/Ag.Corinthians/AE
Emerson fez exames na segunda e foi apresentado nesta terça

O Corinthians tem tudo para montar um ataque destruidor no Campeonato Brasileiro. Além de ter mantido Liedson na equipe, o Alvinegro apresentou Emerson, o Sheik, autor do gol que garantiu o título nacional ao Fluminense em 2010.
Conhecido não apenas pelos gols, mas também pelas polêmicas que cercam sua carreira - como a denúncia sobre ter alterado documentos para jogar na base do São Paulo, manobra conhecida como "gato" -, o jogador se esquivou de mais confusões em sua primeira entrevista coletiva.

continua após publicidade

Tentando ser paciente com o bombardeio da imprensa, o atleta, cujo contrato vai até o fim de 2013, chegou a desabafar.

- Estão pegando no pé, hein? Estão pegando no pé...

continua após publicidade

Questionado sobre os motivos de sua saída do Fluminense – cantou música alusiva ao Flamengo -, Emerson pouco falou:

- Só para esclarecer. O bonde [do Mengão sem Freio] eu não cantei. Cantei uma música popular que tinha um trecho, mas é um funk que a galera curte. Não teve nada de especial para o dono da música, nada demais. Repercutiu, mas não devia ser tão grande.

Emerson também teve de escapar de uma saia-justa quando o assunto em questão foi o processo que sofreu por falsidade ideológica em 2006. Na época, chegou até a ser detido pela Polícia Federal em um aeroporto ao tentar embarcar para o mundo árabe com documentos adulterados.

continua após publicidade

O jogador deixou uma questão pendente na Justiça brasileira - foi condenado a executar serviços comunitários para não ser preso - mas garantiu que tudo está encaminhado.

- Faço isso com o maior carinho para crianças que amo de paixão, do Instituto Reação, do Flávio Canto. Tenho algumas horas a cumprir. Agora que estou em São Paulo, meus advogados vão tentar reverter isso para uma pena pecuniária.

Apesar de ter se mostrado incomodado com o assunto, Emerson, que foi batizado como Márcio Passos de Albuquerque, garantiu que todos os problemas ficaram para trás.

continua após publicidade

- É bom abordar esse assunto, pois realmente aconteceu há um tempo atrás. As medidas foram tomadas para tudo voltar ao normal e o assunto está resolvido. Hoje não tem mais nada disso, ou seja: acabou. Faz parte do passado. Quero falar do Corinthians. O Flamengo, o Fluminense, o Rio de Janeiro fazem parte do passado. Quero falar de outra coisa, por favor.

A "outra coisa" também não foi agradável para Emerson. O jogador foi questionado sobre um episódio no qual teria destruído um quarto de hotel antes de um jogo do Fluminense, pela Libertadores da América. 

- Você [repórter] estava lá para ver? Não destruímos quarto nenhum. Foi uma brincadeira entre vários amigos e uma porta foi arranhada, mas ela foi paga e não houve problema algum.

No que depender da diretoria corintiana, Emerson terá total tranquilidade para trabalhar no Parque São Jorge. Questionado se teme algum problema legal por conta das confusões que o jogador se envolveu, Roberto de Andrade, responsável pelo futebol alvinegro, resumiu.

- Como o Emerson disse, isso aconteceu há uns dez anos e já foi superado e resolvido. O Corinthians não tem nada a dizer sobre isso. Estamos contratando o Emerson em 2011 e nada disso não nos interessa.