Esportes

Ministro defende SP fora da Copa das Confederações

Da Redação ·
O ministro do Esporte, Orlando Silva, defendeu nesta sexta-feira que São Paulo fique fora da Copa das Confederações. Escolhido para receber os jogos da Copa do Mundo de 2014 na capital paulista, o novo estádio do Corinthians, a ser construído no bairro de Itaquera, não ficará pronto para a competição de 2013. Diante disso, as autoridades estudam alternativas na cidade para abrigar o evento teste do Mundial, como o Pacaembu, a Arena Palestra e até mesmo o até então descartado Morumbi. Após participar do Seminário Copa 2014 no Estado de São Paulo, nesta sexta-feira, na Assembleia Legislativa, Orlando Silva lembrou que a Copa das Confederações, em 2013, serve para as cidades testarem seus esquemas de organização e segurança, bem como fazer ajustes necessários, no caso de ocorrerem problemas - mas, por ser uma competição menor, não estará nas 12 sedes do Mundial. "Eu confesso a vocês que, na minha opinião pessoal, se São Paulo não tiver o estádio pronto em 2013, para a Copa das Confederações, o adequado é que não haja a competição em São Paulo", afirmou o ministro. Na avaliação dele, a realização da Copa das Confederações em São Paulo seria uma espécie de prêmio a uma cidade que não cumpriu o cronograma combinado, em detrimento das outras sedes que estarão aptas para a competição. "Você não pode prejudicar uma cidade que tenha cumprido os prazos e entregue o estádio no tempo combinado e beneficiar outra que não cumpriu o cronograma combinado com a Fifa", explicou o ministro. "Então, se o estádio do Corinthians, que é um estádio da Copa do Mundo, não ficar pronto até a Copa das Confederações, eu acredito que São Paulo deve ficar fora desse evento." O ministro, porém, ressaltou que a decisão sobre a participação de São Paulo na Copa das Confederações cabe ao Comitê Organizador Local, cujo presidente é Ricardo Teixeira, e aos dirigentes da Fifa. Ele destacou, contudo, que tem uma relação muito próxima com os responsáveis e que já externou sua opinião a eles. "Eu já falei para o Comitê e para os dirigentes da Fifa que nós temos de premiar e estimular os dirigentes e gestores que cumprirem o acordo firmado com a Fifa", contou. Na avaliação do ministro, não faz sentido que a Copa das Confederações seja realizada em algum outro estádio da cidade de São Paulo, hipótese que vem sendo estudada pelos organizadores. "Não faz sentido fazer um evento em um estádio que não será utilizado durante a Copa do Mundo. A Copa das Confederações é um evento teste, para testar o acesso aos estádios e o funcionamento da operação que será replicada durante o Mundial de 2014. Então, eu creio que é inadequado realizar a Copa das Confederações em um estádio que não será utilizado na Copa do Mundo", disse Orlando Silva. O titular da Secretaria Municipal Especial de Articulação da Copa de 2014, Gilmar Tadeu, também presente no evento nesta sexta-feira, evitou entrar em polêmica com o ministro. "O objetivo do município de São Paulo é realizar a abertura da Copa do Mundo de 2014 e ter aqui na capital um Centro de Mídia Internacional e o Congresso da Fifa. Esses são os grandes objetivos da Prefeitura de São Paulo. Se conseguirmos realizar a Copa das Confederações, é uma coisa a mais. Claro que temos interesse, mas temos de nos focar nos objetivos principais e centrais que ajudarão a cidade e que darão uma visibilidade maior a São Paulo", revelou.
continua após publicidade