Esportes

Once Caldas surpreende em Minas e derruba o Cruzeiro

Da Redação ·
A zebra colombiana derrubou a equipe de melhor campanha na Taça Libertadores. O Cruzeiro foi surpreendido nesta quarta-feira pelo Once Caldas, na Arena do Jacaré, em Sete Lagoas, e deu adeus à competição continental. O time da Colômbia venceu por 2 a 0 e se classificou para enfrentar o Santos nas quartas de final do torneio. Foi a primeira e fatal derrota do time do técnico Cuca no torneio. Vexame tão grande quanto o passado pelo Cruzeiro nesta noite talvez só o proporcionado pelo técnico Cuca. Quando o time dele buscava o gol salvador, já nos acréscimos, o treinador segurou uma bola que saíra pela lateral e, quando Rentería (ex-Atlético-MG), passou por ele, Cuca acertou uma cotovelada que fez até sangrar a boca do colombiano. Esta foi, aliás, a segunda eliminação do treinador frente ao Once Caldas. Quando treinava o São Paulo, caiu em Manizales, em 2004. O Cruzeiro havia vencido o jogo da ida, em Manizales, por 2 a 1, e se classificaria com um empate ou mesmo com derrota por 1 a 0. O placar em branco no primeiro tempo acabou sendo favorável ao time celeste, que não repetiu as últimas atuações na Arena do Jacaré, onde havia aplicado três goleadas na Libertadores - 5 a 0 sobre o Estudiantes (Argentina), 4 a 0 sobre o Guaraní (Paraguai) e 6 a 1 no Deportes Tolima (Colômbia). No estadual, vinha de 13 gols marcados em dois jogos da semifinal. Sem poder contar com Thiago Ribeiro, Brandão e Wallyson, a dupla de ataque Farías e Ortigoza era pouco eficaz e a equipe mineira abusava dos erros na saída de bola. O time colombiano dominava as ações ofensivas e teve pelo menos três chances para abrir o marcador. O atacante Rentería levou perigo logo aos 8 minutos, num chute que o goleiro Fábio salvou o Cruzeiro. A situação do time de Cuca piorou depois que o meia Roger, num intervalo de cinco minutos, fez duas faltas duras, recebeu dois cartões amarelos e foi expulso, aos 30. Quatro minutos depois, foi a vez do travessão salvar o Cruzeiro após bela jogada individual de Rentería. O outro atacante colombiano, Dayro Moreno, também desperdiçou grande chance, aos 41. No final da primeira etapa, o time celeste ainda teve a oportunidade de marcar, mas Ortigoza concluiu mal. A vantagem numérica do Once Caldas durou até os 10 minutos do 2º tempo, quando Carbonero acertou uma cotovelada no volante Henrique e também recebeu o cartão vermelho. Mas justamente quando o Cruzeiro equilibrou a posse de bola, o time colombiano fez 1 a 0, numa cabeçada do zagueiro Amaya, aos 21 minutos. O time da casa ainda tentava assimilar o resultado negativo quando Dayro Moreno marcou o segundo, aos 26, calando o estádio de Sete Lagoas. Onze minutos depois, o lateral-esquerdo Gilberto descontou para o time mineiro, mas a arbitragem, num lance duvidoso, apontou impedimento do atleta brasileiro. O jogo ganhou contornos dramáticos. Cuca perdeu a cabeça, agrediu Rentería e foi expulso. O Once Caldas administrou o resultado até o fim, festejando a classificação. "Tivemos infelicidades, fomos imprudentes em alguns lances. Agora é aguentar as consequências, todo mundo tem suas responsabilidades", lamentou Fábio ao final. Cruzeiro 0 x 2 Once Caldas Cruzeiro - Fábio; Pablo, Victorino, Gil e Gilberto; Marquinhos Paraná, Henrique (André Dias), Montillo e Roger; Farías (Everton) e Ortigoza (Dudu). Técnico - Cuca. Once Caldas - Martínez; Calle, Amaya, Henríquez e Núñez; Mejía, Henao (Pajoy), Mirabaje e Carbonero; Dayro Moreno e Rentería. Técnico - Juan Carlos Osorio. Gols - Amaya, aos 21; Dayro Moreno, aos 26 minutos do 2º tempo.

Árbitro - Antonio Arias (PAR).

Cartões amarelos - Farías, Henríquez, Rentería e, Gil.

Cartões vermelhos - Roger e Carbonero.

Público - 14.972 pagantes.

Local - Estádio Arena do Jacaré, em Sete Lagoas (MG).

continua após publicidade