Esportes

Dirigente pede mais transparência aos clubes ingleses

Da Redação ·
O presidente da Associação de Futebol da Inglaterra (FA, na sigla em inglês) disse em um inquérito parlamentar nesta terça-feira que é "inaceitável" que os clubes não divulguem as informações completas sobre as suas finanças e proprietários para os torcedores. A torcida do Manchester United está descontente com a falta de transparência da família Glazer sobre como ela pagou cerca de 220 milhões de libras de juros elevados da dívida obtida para financiar a sua aquisição em 2005. E David Gill, chefe-executivo do United, declarou anteriormente que o clube não poderia "abrir um diálogo" com os torcedores que estão "em guerra com os proprietários". Mas David Bernstein, o presidente da FA, disse nesta terça-feira que tal postura é inaceitável. "Os torcedores têm direito a uma informação completa de seus clubes e um diálogo adequado sobre proprietários e finanças", disse Bernstein, aos legisladores ao

discutir a situação geral. "Eles são os principais interessados e deve haver um fluxo livre de informação entre os clubes e torcedores, nada menos é aceitável".


O Leeds United, que está na segunda divisão inglesa, também se recusou a nomear os seus financiadores, que resgataram um clube que chegou à beira do colapso pouco tempo depois de ser semifinalista da Liga dos Campeões da Europa em 2001. "Eu acho que os torcedores devem saber a quem pertence todos os clubes", disse Bernstein, quando

perguntado sobre o Leeds.


Bernstein disse que o futebol inglês pode se beneficiar da adoção da regra do fair-play financeiro pela Uefa. "Eu gostaria de ver o fair-play financeiro estendido por todo o Campeonato Inglês e, possivelmente, também na segunda divisão", comentou.

continua após publicidade