Esportes

Presidente diz que atendeu pedidos de Muricy no Flu

Da Redação ·

O presidente Peter Siemsen evitou fazer críticas a Muricy Ramalho e até concordou que o Fluminense tem problemas na sua estrutura, principal motivo da saída do técnico do clube, anunciada na noite de domingo, após o empate por 0 a 0 no clássico contra o Flamengo, em partida válida pela Taça Rio - o segundo turno do Campeonato Carioca -, mas ressaltou que todos os pedidos feitos pelo treinador vinham sendo atendidos.


"O Muricy chegou aqui com dois objetivos: um era conquistar um título - ganho no ano passado, no Brasileiro - e outro era conseguir melhorar a estrutura do clube. Na visão dele, como não é possível conseguir esta segunda parte, ele preferiu abandonar o trabalho", disse Siemsen.


Segundo comunicado divulgado pela assessoria de imprensa de Muricy Ramalho, as melhorias na infraestrutura do clube, inclusive nas instalações das Laranjeiras, não foram atendidas. No entanto, Siemsen negou que qualquer pedido tivesse sido feito. "Não foi me feito nenhum pedido para melhoria nas Laranjeiras. Se tivesse sido feito, é claro que teríamos providenciado, assim como foi feito em Xerém."


O presidente do Fluminense alegou que sempre se prontificou a atender a todos os pedidos do técnico. "Todos os aumentos de salários que me foram pedidos, atendi prontamente, então não houve interferência neste aspecto. Assim como aconteceu com as contratações. Assinei embaixo de todas elas."


Mesmo sem Muricy, Siemsen prometeu continuar o trabalho planejado pelo técnico. "Sou novo no cargo, tem dois meses que assumi, e estou assumindo agora com o compromisso de conseguir construir uma estrutura adequada para que qualquer treinador consiga fazer o seu trabalho. É lamentável um dos melhores técnicos do Brasil não ficar no Fluminense por causa da falta de estrutura."


Siemsen ainda demonstrou não ter nenhum ressentimento com relação ao técnico. "O Fluminense está triste com a saída do Muricy. Queríamos que ele tivesse ficado, ainda mais depois da conversa que tivemos na noite de ontem [sábado]", lamentou o presidente.


"Fui comunicado da saída do Muricy no sábado de manhã. Conversamos bastante, mas entendi o ponto de vista dele. Não participei da decisão, só fui comunicado informalmente. À noite é que conversei melhor com ele. A rescisão é amigável e as portas continuam abertas para os dois lados", completou.


Com a saída de Muricy, que tinha contrato até 2012, o Fluminense procura um novo técnico. Os nomes de Dorival Júnior, atualmente no Atlético Mineiro, e Caio Júnior, que estava Al Gharafa, do Catar, são os mais comentados.

continua após publicidade