Esportes

Santos fecha patrocínio master por R$ 15 milhões

Da Redação ·
Agora são quatro os patrocinadores da camisa santista, totalizando R$ 25,5 milhões
fonte: Arquivo
Agora são quatro os patrocinadores da camisa santista, totalizando R$ 25,5 milhões

O Santos fechou ontem com o Banco de Minas Gerais o patrocínio master de sua camisa. O banco BMG estampará sua logomarca no peito e nas costas do uniforme santista durante todo o restante do Campeonato Paulista, da Taça Libertadores da América e também no Campeonato Brasileiro. O acordo vai render ao clube praiano R$ 15 milhões até o final do ano.

continua após publicidade




A informação foi confirmada pelo presidente Luis Alvaro de Oliveira Ribeiro durante jantar na Vila Belmiro, em comemoração à unificação dos títulos nacionais e a homenagem aos jogadores octacampeões brasileiros.
 



Agora são quatro os patrocinadores da camisa santista, totalizando R$ 25,5 milhões. A BMG ocupará peito e costas, a Netshoes, as mangas, (R$ 5,5 milhões), a Seara, o ombro (R$ 3 milhões), e CSU, os números (R$ 2 milhões).
 

continua após publicidade



De acordo com os dirigentes, estão adiantadas as negociações para a venda do espaço no calção. O Santos pretende obter R$ 28 milhões em patrocínios em 2011 pelo total do seu uniforme, quadruplicando o valor (R$ 7 milhões) apurado no último ano da gestão de Marcelo Teixeira, em 2009.


O presidente santista promete solucionar nesta sexta-feira, ou depois da viagem à Venezuela, a situação de Paulo Henrique Ganso. O meio-campista reclama de não ser valorizado pelo clube e pede aumento de salário. Ele ganha R$ 130 mil mensais e pretende ser equiparado a Neymar, passando a receber R$ 500 mil.


"Queremos que Ganso fique no Santos e fique feliz. Conversei ontem (quarta-feira) com os pais e o irmão dele e agora vamos nos sentar e voltar a negociar", afirmou Luís Álvaro.


O dirigente confirmou que a DIS (grupo que detém 45% dos direitos econômicos de Ganso) tentou colocar o meia no Corinthians. "Foi o presidente Andrés Sanches que me contou. Eles ofereceram a parte deles nos direitos econômicos que pretensamente têm e que o Santos, por se julgar prejudicado, questiona na Justiça", contou o presidente santista.