Esportes

Torcedores depredam sede corintiana; Ronaldo vira alvo

Da Redação ·
  Ronaldo e o técnico Tite também não escaparam das ofensas dos torcedores
fonte: Futura Press
Ronaldo e o técnico Tite também não escaparam das ofensas dos torcedores
Os primeiros efeitos da eliminação do Corinthians na Copa Libertadores, ratificada na última quarta-feira à noite com a derrota por 2 a 0 para o Deportes Tolima, na Colômbia, já se fizeram sentir na madrugada desta quinta. Torcedores corintianos revoltados com a derrota depredaram o Parque São Jorge, sede do clube, e picharam os muros do local para protestar contra o fiasco histórico amargado pelo time no torneio. O principal alvo da revolta dos torcedores foi o atacante Ronaldo. Chamado de "gordo" em algumas das pichações, ele foi eleito maior vilão pelos torcedores, que também miraram a sua revolta especialmente contra o presidente do Corinthians, Andrés Sanchez, e contra o técnico Tite. Até o meia Danilo, atualmente na reserva do time, e o lateral Roberto Carlos, que não atuou contra o Tolima por estar lesionado, foram alvos dos torcedores por meio das pichações ofensivas. Além de pichar os muros do clube, os torcedores atiraram pedras contra a sede corintiana. A loja oficial do time no Parque São Jorge teve seus vidros estilhaçados pelas pedradas e os mesmos ainda foram pichados com tintas brancas. Novos protestos de torcedores deverão ocorrer nesta segunda-feira, dia em que a delegação corintiana desembarcará em Campinas, no Aeroporto de Viracopos, em voo fretado previsto para chegar ao local às 9 horas. Logo após a derrota para o Tolima, Ronaldo encarou como natural a pressão exercida pelos torcedores. "Não podemos pedir nada ao nosso torcedor, nem paciência. Nós falhamos. Somos os primeiros que representamos o clube e falhamos, estamos tristes. Mas foi o que aconteceu e vamos arcar com nossas consequências", ressaltou o atacante, que falou ter ficado "atordoado" com a eliminação. "É uma derrota que vamos levar o resto do ano", enfatizou. O atleta chegou a reclamar do gramado do estádio de Ibagué, na Colômbia, mas admitiu que ele não pode servir como desculpa para a eliminação corintiana. "Criamos algumas oportunidades, mas não conseguimos fazer gols nas partidas (de ida e volta). Fizemos gols no ano passado, mas no momento mais importante falhamos. Vamos encarar e arcar com nossas responsabilidades", prometeu. Com a eliminação na Libertadores e a forte pressão que receberá dos torcedores corintianos, que já perderam a paciência com o fato de o jogador seguir atuando fora de forma e longe das condições ideais para um atleta profissional, o Fenômeno poderá até antecipar a sua aposentadoria, já anunciada por ele próprio para o final desta temporada. Ele, porém, destacou anteriormente que pretende seguir ligado ao clube depois de encerrar a sua carreira.
continua após publicidade