Esportes

Após acordo, jogador terá que doar R$ 22 mil para Região Serrana

Da Redação ·
 Somália aceita decisão judicial nesta quarta
fonte: Thamine Leta/G1
Somália aceita decisão judicial nesta quarta

O jogador Paulo Rogério Reis, o Somália, do Botafogo, aceitou o acordo proposto pelo 9º Juizado Especial Criminal e terá de pagar R$ 22 mil aos desabrigados da Região Serrana do Rio de Janeiro. A pena do jogador foi estipulada em audiência na tarde desta quarta-feira (19), em decorrência da falsa comunicação de crime feita por Somália no início do mês.
 

continua após publicidade

No dia 5 de janeiro, o jogador foi à delegacia da Barra da Tijuca, na Zona Oeste da cidade, e prestou depoimento afirmando que havia sido sequestrado às 7h15 e liberado às 9h40 por um homem armado e, por isso, teria faltado à reapresentação marcada pelo Botafogo. Posteriormente, os agentes solicitaram imagens do prédio do jogador e constataram que ele aparece no elevador no momento em que disse estar sob o poder do sequestrador.
 

A pena foi estipulada pelo juiz Joaquim Domingos de Almeida Neto de acordo com a capacidade financeira do jogador. Dos R$ 22 mil, R$ 12 mil serão revertidos em material escolar e alimentos não perecíveis que terão que ser entregues na Região Serrana até o dia 27 de janeiro. Destes R$ 12 mil, R$ 6 mil serão para material escolar e a outra metade para alimentos não perecíveis.
 

continua após publicidade

Os outros R$ 10 mil também serão revertidos em doações que deverão ser entregues metade no fim de fevereiro e metade no fim de março. “A ideia é que a pena ensine algo ao jogador, é até uma questão pedagógica”, disse o juiz.

A ideia de reverter a pena de Somália foi do promotor de Justiça Marcio Almeida. “Desde segunda-feira (17), todas as penas foram revertidas em donativos para a Serra. É uma maneira de ajudar”, afirmou o promotor.