Esportes

Austrália ainda busca 70 desaparecidos

Da Redação ·
 Menino usa vassoura para empurrar lama nas ruas de Brisbane, na Austrália; mortos em enchentes chegam a 15
fonte: Tim Wimborne/Reuters
Menino usa vassoura para empurrar lama nas ruas de Brisbane, na Austrália; mortos em enchentes chegam a 15

As equipes de emergência do Estado de Queensland, na Austrália, ainda buscam nesta sexta-feira (14) ao menos 70 desaparecidos por causa das enchentes que atingem a região.

continua após publicidade

O número oficial de mortos na tragédia chega a 15, mas as autoridades locais temem que essa cifra possa ser elevada nos próximos dias. De acordo com a polícia, dezenas de famílias estão sem notícias de parentes.

continua após publicidade

A chefe do governo de Queensland, Anna Bligh, disse que o trabalho de resgate continua.

continua após publicidade

- Ainda temos várias famílias que não sabem onde seus filhos estão, que não sabem onde seus amados estão.

A boa notícia para os moradores de Queensland é que o nível do rio Brisbane - que percorre a cidade de mesmo nome - começou a baixar. Com a água na marca dos 2,5 m, os primeiros trabalhos de limpeza começaram na manhã desta sexta-feira.

continua após publicidade

Com a melhora da situação, moradores puderam voltar a suas casas e viram os estragos causados pela água, que afetou mais de 26 mil imóveis na terceira maior cidade da Austrália. Outros residentes, no entanto, terão que esperar semanas e até meses para voltar a suas casas.

continua após publicidade

Às equipes de limpeza municipais se uniram dezenas de grupos de voluntários organizados por meio da rede social Facebook. Cerca de 65 mil casas e estabelecimentos comerciais seguem sem eletricidade e água potável, e seus habitantes viajam para outros bairros para recarregar as baterias e encher garrafões de água.

Durante os primeiros trabalhos de limpeza, as equipes destacaram o mau cheiro, já que muita comida estragou e se misturou à água e ao lodo. O prefeito de Brisbane, Campbell Newman, indicou que a prioridade no momento é reabrir as ruas da cidade, enquanto a primeira-ministra do país, Julia Gillard, destacou mais 1.200 soldados para a zona do desastre.

Gillard disse que as tropas não deixarão faltar comida e outros artigos básicos nos bairros de difícil acesso. Por sua parte, engenheiros do Exército supervisionarão consertos urgentes em infraestruturas essenciais, como estradas e pontes, para recuperar a mobilidade o mais rápido possível.