Esportes

Ainda triste por 2010, Ronaldinho busca motivação em Copa no Brasil

Da Redação ·
 Ronaldinho Gaúcho
fonte: googleimagens.com
Ronaldinho Gaúcho

Ronaldinho Gaúcho está de volta à seleção brasileira com sua tradicional imagem de felicidade, mas ainda com resquícios da decepção por não ter ido à última Copa do Mundo. Em sua primeira entrevista coletiva no retorno ao time nacional, o meia deixou evidente a mágoa pela ausência na África do Sul e reforçou que sua maior motivação no momento é a possibilidade de disputar o Mundial no Brasil, em 2014.

continua após publicidade

“Fiquei fora da Copa e senti muita tristeza, mas tento transformar isso para o lado bom e espero estar bem para poder jogar a próxima Copa”, projetou o único campeão mundial pela seleção do atual grupo.

continua após publicidade

“Minha motivação é muito grande e tudo que passou serviu para me motivar ainda mais. Meu objetivo é a próxima Copa. Todo jogador sonha com a chance de jogar uma Copa no Brasil e eu tenho essa possibilidade”, acrescentou o meia.

continua após publicidade

Ronaldinho assegura que, mesmo depois de 109 convocações, 92 jogos e 34 gols pelo Brasil, ser novamente lembrado para a equipe nacional lhe proporcionou uma sensação diferente.

Ele não defende a seleção desde abril de 2009. Ou seja, foram 19 meses de ausência. Por isso, o chamado de Mano Menezes lhe rendeu uma alegria comparável à de 1999, quando foi convocado pela primeira vez para o time principal. E novamente a ausência de 2010 apareceu em sua argumentação.

continua após publicidade

“Primeira vez é sempre a primeira vez, agora a emoção é diferente, até por não ter disputado a Copa e por estar há muito tempo fora. A alegria agora é em dobro”, disse o armador do Milan.

continua após publicidade

Com sorriso no rosto e um discurso sereno como de costume, Ronaldinho não deu nenhuma declaração forte. Assumiu definitivamente a postura de jogador mais velho do time (30 anos) e até de conselheiro.

Foi assim, por exemplo, que ele abordou a relação que começou a ter com Neymar, maior promessa do futebol brasileiro na atualidade. “[Essa pressão] acontece com todos os jovens que chegam à seleção. É criada uma expectativa muito grande. O Neymar tem tudo para realizar seus sonhos, tem muita qualidade e espero poder ajudá-lo para que ele tenha uma carreira maravilhosa”, completou o veterano.

Durante sua entrevista no hotel da seleção, Ronaldinho ainda sentiu mais uma prova do peso de sua trajetória no futebol. Algumas crianças acompanhadas pelos pais e até alguns marmanjos esperaram ansiosamente a coletiva para, depois, partirem em busca de um autógrafo ou uma foto. Solícito, ele atendeu a todos e saiu tranquilamente em direção a seu quarto, com a calma de quem conhece muito bem a seleção brasileira, mesmo depois de tanto tempo longe.