Esportes

Com jogador a menos, São Paulo vence o Santos

Da Redação ·
 Dagoberto marcou dois gols e deu a vitória ao time da capital
fonte: googleimagens.com
Dagoberto marcou dois gols e deu a vitória ao time da capital

Em um clássico com emoções típicas da década de 1960, o São Paulo venceu o Santos por 4 a 3, com um gol de Jean aos 47min do segundo tempo, e enlouqueceu o Morumbi na noite deste domingo.

continua após publicidade

Com o terceiro triunfo seguido sob o comando de Paulo César Carpegiani, o time tricolor soma 44 pontos, é o nono colocado e diminui para seis pontos a distância à zona de classificação à Copa Libertadores.

continua após publicidade

Já o Santos segue em quarto, com 48, e está a seis pontos do líder Cruzeiro.

continua após publicidade

Dagoberto marcou duas vezes para o time da capital e Pará fez contra. Alan Patrick, Zé Eduardo e Neymar anotaram os gols da equipe litorânea. Quando tudo indicava um empate no Morumbi, Jean marcou de cabeça, após grande defesa de Rafael.

A vitória heróica fica mais valorizada porque os são-paulinos atuaram com um jogador a menos desde os 12min do segundo tempo, quando Richarlyson foi expulso após falta violenta e desnecessária na lateral do campo.

continua após publicidade

Os donos da casa reclamaram do terceiro gol santista. O motivo foi um pênalti duvidoso de Alex Silva sobre Neymar.

continua após publicidade

A proposta ofensiva dos dois treinadores surtiu efeito imediato. Nos 20 primeiros minutos, saíram cinco gols.

Os visitantes abriram o placar logo aos 3min. Zé Eduardo chutou, Rogério Ceni vacilou ao espalmar para o meio e Alan Patrick aproveitou o rebote.

continua após publicidade

A resposta dos donos da casa foi rápida e em dose tripla. Dagoberto marcou duas vezes de cabeça, aos 9min e aos 16min.

Aos 19min, o camisa 25 tricolor disparou no contragolpe e recebeu o lançamento de Richarlyson. Invadiu a área, passou por Roberto Brum e contou com a ajuda de Pará, que tentou tirar e mandou para o próprio gol.

Os são-paulinos ainda comemoravam a vantagem de dois gols, quando o Santos saiu com a bola, Pará avançou pela direita, invadiu a área e bateu cruzado. No segundo pau, Zé Eduardo, livre, só teve o trabalho de diminuir o placar para 3 a 2.

continua após publicidade

A partir do início eletrizante, o time da capital diminuiu o ritmo e chamou o adversário para o seu campo. O objetivo era explorar os contra-ataques.

Mais presente no ataque, o Santos quase empatou por duas vezes com Durval. Rogério Ceni levou a melhor nas duas e parou o beque santista.

continua após publicidade

Destaque do São Paulo, Dagoberto celebrou a boa fase. “Bom, né? Os gols estão saindo, e é importante que a nossa equipe está conseguindo jogar. Depois dos gols marcamos mais, eles fecharam mais também. Fomos inteligentes, no meu ponto de vista”, comentou o atacante.

A etapa inicial terminou com 11 finalizações do conjunto alvinegro contra quatro do tricolor, que foi mais eficiente.

“Mérito dos atacantes, e talvez um pouco de desatenção na nossa defesa”, opinou do outro lado Durval, sobre os três gols do rival em 19 minutos.

Carpegiani foi obrigado a mudar o esquema tático no retorno para o segundo tempo. Lesionado, Lucas deu lugar ao zagueiro Renato Silva.

Aos 12min, Richarlyson deu um carrinho duro em Zé Eduardo, na linha lateral, e levou o vermelho direto, sem sequer ser advertido. Torcedores xingaram o lateral são-paulino de burro.

Com um a mais, os santistas foram para cima e sofriam nos contragolpes do time da capital. Até que Neymar caiu na área após choque com Alex Silva e igualou o placar no pênalti.

A partida ficou aberta, e o São Paulo levou a melhor com o gol de Jean aos 47min.