Esportes

Ganso pede volta de Dorival Júnior e desaprova indisciplina de Neymar

Da Redação ·

O meia Paulo Henrique Ganso concedeu a primeira entrevista coletiva, no CT Rei Pelé, após 47 dias fazendo tratamento de uma cirurgia no joelho esquerdo para reconstruir o ligamento cruzado anterior. Durante esse período, o camisa 10 do Santos acompanhou de fora o desentendimento entre Neymar e Dorival Júnior. Questionado sobre a polêmica, Ganso pediu a volta de Dorival e desaprovou a atitude de Neymar, que xingou o treinador por tê-lo proibido de cobrar um pênalti nos minutos finais do jogo contra o Atlético-GO, no dia 15 de setembro.


“Eu preferia que o Dorival Júnior voltasse. Não sei se é possível ele voltar um dia”, afirmou Paulo Henrique, após ser perguntado se Abel Braga e Paulo Autoria poderiam assumir o time. “Então qualquer um que for contratado está bem. Que possa vir o melhor”, completou.
 

continua após publicidade

O atleta demonstrou chateação ao comentar sobre o incidente entre Neymar e Dorival, que ocasionou na demissão do treinador. Paulo Henrique, inclusive, revelou que tem aconselhado o amigo a melhorar sua postura fora de campo, e acredita que a confusão ajudou para o amadurecimento do atleta.

“Acho que foi uma coisa que aconteceu, chateou a todos. Mas acho que o Neymar aprendeu bastante, e vem mostrando isso em campo. Procurei dar conselhos para ajudar ele melhorar não só o futebol, mas dentro dentro e fora de campo também”, disse Paulo Henrique Ganso.
 

continua após publicidade

Apesar de desaprovar a atitude de Neymar, o camisa 10 também se envolveu em uma polêmica com o técnico Dorival Júnior nesta temporada. Paulo Henrique se recusou a ser substituído durante a final do Campeonato Paulista, diante do Santo André, no Estádio do Pacaembu.
 

“Foram situações diferentes. Era uma final de campeonato, o time estava com três a menos (expulsos durante a final do Paulista). Eu considerava importante a minha presença no time. O que aconteceu na Vila entre o Neymar e o Dorival foram coisas diferentes, que já foram comentadas”, concluiu.