Esportes

Inter promete recepção cordial ao Corinthians

Da Redação ·
 Tinga sofre pênalti de Fábio Costa, ignorado pelo árbitro. Resultado do Pacaembu acabou tirando o título de 2005 do Internacional
fonte: Djalma Vassão/Gazeta Press
Tinga sofre pênalti de Fábio Costa, ignorado pelo árbitro. Resultado do Pacaembu acabou tirando o título de 2005 do Internacional

Adversários do próximo domingo (26), às 16 horas (de Brasília), no estádio Beira-Rio, em Porto Alegre (RS), Internacional e Corinthians escreverão o 53º capítulo de uma história recheada de tradição, equilíbrio e rivalidade, iniciada com um empate por 2 a 2 no mesmo palco do novo encontro, em setembro de 1971.

continua após publicidade

Para tentar impedir a 16ª vitória do time paulista e diminuir a diferença de nove pontos para o líder do Campeonato Brasileiro, o Internacional, que soma 14 vitórias na história contra o rival, quer deixar o clima de guerra que cercou os encontros recentes somente para dentro do campo. Promessa de Fernando Carvalho, vice-presidente de futebol, em entrevista ao R7.

continua após publicidade

- Essa rivalidade existe há muito tempo, desde a década de 70, quando disputamos o título brasileiro [em 1976], e foi acirrada nos últimos tempos, pois as duas equipes estão sempre brigando por conquistas, mas sempre ficou dentro de campo. Acredito que no domingo será novamente desta forma.

continua após publicidade

Nas últimas vezes em que se envolveram em disputas diretas, o que não faltou foi polêmica. Em 2005, o Corinthians se sagrou campeão brasileiro muito por conta de um erro crasso do árbitro Márcio Rezende de Freitas, que deixou de marcar pênalti claro do goleiro Fábio Costa em cima do volante Tinga. Dois anos mais tarde, os paulistas suspeitaram de o Inter ter feito corpo mole contra o Goiás, apenas para prejudicar o Corinthians, que precisava de uma derrota da equipe do Centro-Oeste na última rodada do Brasileirão para não ser rebaixado à Série B.

A última confusão foi protagonizada na decisão da Copa do Brasil do ano passado. Irritado com a derrota do Colorado, o meia D’Alessandro chamou o zagueiro corintiano William para a briga. O capitão alvinegro se esquivou e acabou participando de uma cena patética, ao, literalmente, fugir do argentino no meio do campo.

continua após publicidade

Apesar das polêmicas, Carvalho minimizou o clima de guerra que prevaleceu nos últimosanos e prometeu que a comitiva corintiana que for a Porto Alegre acompanhar o time terá toda a segurança necessária no Beira-Rio.

continua após publicidade

- Nossa obrigação é receber bem e com segurança o nosso coirmão. É isso o que queremos. Tudo correrá de forma normal, como sempre aconteceu nos jogos aqui no Beira-Rio. Esperamos que, dentro de campo, o Inter consiga diminuir a diferença, até porque, para nós, só interessa o título. Precisamos nos manter em ritmo competitivo para disputar o Mundial no fim do ano.

continua após publicidade

O técnico Celso Roth concordou com o presidente e também minimizou qualquer desejo de revanche pelas últimas derrotas.

- É outro jogo, outra situação. Não tem revanche nenhuma. Espero que seja um jogo bom, normal. Naquele momento, o Corinthians foi melhor e se sagrou campeão. Não vejo relação alguma.

continua após publicidade

Dentro de campo

continua após publicidade


Clima de guerra à parte, o Internacional espera se recuperar da derrota por 1 a 0 para o Atlético-PR. O técnico Celso Roth deve manter o time no esquema 4-5-1, com apenas Leandro Damião atuando no ataque.

Alecsandro, recuperado de contusão, já se colocou à disposição e espera ter a chance de voltar ao time.

continua após publicidade

- Quando se colocam duas pessoas em uma disputa, uma delas acaba perdendo pelos números. Fico tranquilo, pois sei da minha qualidade, e minha média de gols é muito boa. Saí do time como artilheiro do Brasileirão e isso credencia a minha volta. 

continua após publicidade

Roth, que ainda não sabe se poderá contar com Tinga, terá os desfalques de Bolívar e Wilson Matias, ambos suspensos com três cartões amarelos. Sorondo deve ocupar o lugar do capitão na zaga, enquanto Glaydson, que atuou improvisado como lateral na derrota na Arena da Baixada, pode entrar no meio. O treinador contará ainda com as voltas de Renan e Nei, que não jogaram no meio de semana.

No Corinthians, que vem de grande vitória contra o Santos na Vila Belmiro, a ordem é continuar aproveitando o bom momento como visitante para surpreender mais uma vez e ficar firme na liderança da competição.

Ainda sem poder contar com Ronaldo, o técnico Adilson Batista mandará a campo praticamente o mesmo time que venceu o clássico da última quarta-feira (22). A principal novidade deverá ser a presença de Ralf no meio-campo, em lugar de Boquita.

FICHA TÉCNICA
INTERNACIONAL X CORINTHIANS
Local: Estádio Beira-Rio, Porto Alegre (RS)
Data: 26 de setembro de 2010, domingo
Horário: 16h (de Brasília)
Árbitro: Sandro Meira Ricci (DF)
Auxiliares: Roberto Braatz (Fifa-PR) e João Antônio Sousa Paulo Neto (DF)

INTERNACIONAL: Renan; Nei, Sorondo, Índio e Kleber; Glaydson, Guiñazu, Tinga (Edu), D’Alessandro e Giuliano; Leandro Damião.
Técnico: Celso Roth

CORINTHIANS: Julio Cesar; Alessandro, Paulo André, William e Roberto Carlos; Ralf, Jucilei, Elias e Bruno César; Jorge Henrique e Iarley
Técnico: Adilson Batista