Facebook Img Logo
Mais lidas
Esportes

Pedido de liberdade a rapper marca festa do título do Super Bowl

.

EDOARDO GHIROTTO

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - “Eu costumava sonhar por dias como esse, para rimar desse jeito. Então tive de ralar para brilhar dessa forma.”

Os versos que abrem a música escolhida pelo Philadelphia Eagles como tema da vitória no Super Bowl de domingo (4) poderiam simbolizar o ineditismo da conquista. Mas os motivos por trás da preferência pela canção “Dreams and Nightmares” (sonhos e pesadelos), lançada pelo rapper Meek Mill em 2012, vão muito além.

A escolha foi a forma que os jogadores encontraram para prestar solidariedade a Mill, 30, natural da Filadélfia e torcedor dos Eagles. O rapper está preso desde novembro por ter violado a condicional.

Mill recebeu uma sentença de dois a quatro anos de prisão por ter testado positivo em um exame de drogas e por não respeitar uma ordem judicial que restringia seu deslocamento.

A sentença provocou protestos nos EUA. Apoiadores de Mill dizem que a pena aplicada pela juíza Genece E. Brinkley foi severa para os crimes cometidos e explicita o racismo no judiciário americano.

Atletas dos Eagles já haviam ido a uma manifestação em favor de Mill. Entre eles estavam o safety Malcolm Jenkins e o wide receiver Torrey Smith, que recusaram nesta quarta-feira (7) o convite para se encontrar com o presidente Donald Trump na Casa Branca.

A primeira vez que a música de Mill tocou no vestiário dos Eagles foi depois da conquista da Conferência Nacional (NFC) sobre os Minnesota Vikings, que classificou a equipe para o Super Bowl.

O time também usou a canção para entrar em campo na final contra o New England Patriots, disputada em Minneapolis. E para comemorar o título obtido com a vitória por 41 a 33.

Ao parabenizar a equipe, o jogador de basquete do Cleveland Cavaliers Lebron James endossou a campanha pela libertação do rapper com a hashtag #FreeMeek. Outros apoiadores ilustres do movimento são o rapper Jay Z e o ator Kevin Hart.

Nesta quinta-feira (8), a música foi tocada ao final do desfile em carro aberto pela Filadélfia, quando o time subiu as escadarias do Museu de Artes para discursar para os milhares de torcedores. O local é famoso por ter aparecido no filme Rocky, protagonizado por Sylvester Stallone.

Torcedores também endossaram o movimento de apoio a Mill. Durante o desfile da equipe foram vistas diversas faixas e camisetas pedindo para que o rapper fosse libertado da prisão.

Após o título do Super Bowl, Mill emitiu uma nota da prisão em que disse ter ficado orgulhoso com a conquista. Ele afirmou ter “fé que a verdade e a justiça vencerão no final”.

O portal TNOnline.com.br não se responsabiliza pelos comentários, opiniões, depoimentos, mensagens ou qualquer outro tipo de conteúdo. Seu comentário passará por um filtro de moderação. O portal TNOnline.com.br não se obriga a publicar caso não esteja de acordo com a política de privacidade do site. Leia aqui o termo de uso e responsabilidade.

Últimas de Esportes

×

Newsletter

Conteúdo direto para você:

Quero Receber