Facebook Img Logo
  1. Banner
Mais lidas
Esportes

Oswaldo se exalta e vai para cima de repórter após vaga suada

.

BELO HORIZONTE, MG (UOL/FOLHAPRESS) - O Atlético-MG deixou a Arena da Floresta classificado à segunda fase da Copa do Brasil, após empatar em 1 a 1 com o Atlético-AC. Apesar de avançar no torneio, o time alvinegro foi muito mal. Incomodado com uma pergunta do repórter Léo Gomide, da Rádio Inconfidência, o treinador atleticano se exaltou e discutiu com o jornalista, após ser perguntado sobre a estratégia de jogo do time.

"Você sempre faz essas perguntas mal-intencionadas. Não seja tendencioso", reclamou o treinador atleticano, que seguiu se queixando.

"Nós atacamos de todas as formas que planejamos e treinamos. Planejamos fazer jogadas pelos lados do campo, planejamos os contra-ataques que aconteceram. Criamos várias oportunidades no primeiro tempo e no segundo tempo, poderíamos ter saído com dois ou três gols. Mas quem não tem boa vontade e quer usar o lado pejorativo, faz o tipo de pergunta que você fez. Só que você repete isso todas as vezes, mas eu calmamente tenho administrado".

A discussão entre ambos seguiu e foi esquentando. O treinador do Atlético até citou a eliminação do Botafogo para justificar a péssima atuação de sua equipe diante do Atlético-AC.

"Estamos classificados, vocês não estavam falando Botafogo? Nós estamos classificados e isso é positivo", disse Oswaldo de Oliveira, já com um tom de voz alterado, que ficou ainda mais ao ser perguntando sobre até que fase sua equipe pode seguir atuando de forma tão ruim.

"Quem disse que o Atlético vai repetir essa atuação?", indagou o treinador do Galo, que seguiu incomodado com as perguntas feitas por Léo Gomide. E mesmo após o repórter deixar a coletiva, o treinador seguiu reclamando e até foi para cima do jornalista. O treinador atleticano precisou ser contido.

ANÁLISE

Antes de se exaltar, o treinador do Atlético fez uma análise da partida. Para justificar a fraca atuação de sua equipe diante do Atlético-AC, Oswaldo de Oliveira usou as adversidades encontradas pelo Galo, como fuso horário, são três horas de diferença entre Belo Horizonte e Rio Branco. E por incrível que pareça, o técnico conseguiu ver algo positivo no empate em 1 a 1.

"Tivemos uma parada duríssima aqui, um jogo difícil, circunstâncias adversas e um adversário muito bem preparado e motivado, jogando a partida do ano. Nossa equipe com uma história de viagens acumuladas em cinco dias muito grande, de Belo Horizonte para Uberlândia, de Uberlândia para Patos, de Patos para Brasília e de Brasília para cá. Isso é um acumulo muito grande, além do fuso horário. Isso pesou muito. O time mostrou uma valentia muito grande e isso nos anima muito quanto ao futuro. Essa determinação é preponderante no momento que a equipe começar a render", analisou Oswaldo Oliveira, enquanto ainda estava tranquilo.

O portal TNOnline.com.br não se responsabiliza pelos comentários, opiniões, depoimentos, mensagens ou qualquer outro tipo de conteúdo. Seu comentário passará por um filtro de moderação. O portal TNOnline.com.br não se obriga a publicar caso não esteja de acordo com a política de privacidade do site. Leia aqui o termo de uso e responsabilidade.

Edhucca

Últimas de Esportes

×

Newsletter

Conteúdo direto para você:

Quero Receber