Mais lidas
Esportes

Ex-médico é condenado de novo por abuso a ginastas nos EUA

.

SÃO PAULO, SP (UOL/FOLHAPRESS) - Larry Nassar, médico que abusou por décadas de ginastas da seleção dos EUA, recebeu nesta segunda-feira (5) nova condenação por abuso sexual. Em processo paralelo ao que o condenou a pena entre 40 e 175 anos de prisão em janeiro, Nassar foi condenado a entre 40 e 125 anos de reclusão.

Neste segundo processo, julgado na corte do condado de Eaton, Nassar assumiu o abuso sexual de três menores de idade entre 2009 e 2011 no clube de ginástica Twistars. Ao todo, segundo informações publicadas pelo site Buzzfeed, mais de 200 mulheres acusaram o médico de assédio. Muitas ainda eram crianças ou adolescentes quando se tornaram vítimas.

A primeira condenação de Nassar por abuso sexual ocorreu há duas semanas, em julgamento que expôs seus abusos.

Além dos até 175 anos de reclusão, o ex-profissional da seleção de ginástica também já foi condenado a 60 anos de cadeia por pornografia infantil.

Os processos contra o médico incentivaram ginastas a revelarem casos de violência sexual protagonizados por Nassar. Nomes importantes da ginástica do país, como as campeãs olímpicas Simone Biles, Gabby Douglas, Aly Raisman e McKayla Maroney foram vítimas de Nassar durante anos.

Nos julgamentos, Nassar pediu desculpas às vítimas e ainda encarou os pais de algumas das atletas no tribunal. Na última semana, Randall Margraves, pai de três meninas violentadas pelo ex-médico, tentou atacá-lo em uma audiência.

Após ver duas de suas filhas providenciarem provas contra Nassar, Margraves pediu à juíza para ficar "cinco minutos em uma sala com este demônio". A ideia foi rejeitada, e o pai das três garotas invadiu a área destinada ao réu com o intuito de agredi-lo. A polícia algemou Margraves, que pediu desculpas posteriormente.

×

Newsletter

Conteúdo direto para você:

Quero Receber