Facebook Img Logo
  1. Banner
Mais lidas
Esportes

Citadini perde na Justiça e segue fora da eleição no Corinthians

.

ALEX SABINO

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - O juiz Luis Fernando Nardelli, do Fórum Regional do Tatuapé, em São Paulo, negou nesta sexta (19) o pedido de Antonio Roque Citadini para voltar a ser candidato a presidente do Corinthians.

Citadini apresentou uma ação de tutela de urgência que recolocaria seu nome entre os candidatos, mas esta foi indeferida.

A candidatura foi impugnada pela comissão eleitoral. O presidente do conselho deliberativo do clube, Guilherme Strenger, assinou a decisão. A alegação é que como conselheiro do TCE (Tribunal de Contas do Estado), Citadini estaria proibido pelas constituições estadual e federal de ser eleito para qualquer cargo executivo.

No pedido de tutela, Citadini solicitou a nulidade do ato ratificado por Strenger e assegurou não existir nenhuma proibição legal à candidatura. Também escreveu que Strenger fere a Lei Orgânica da Magistratura ao ocupar a vaga de presidente do conselho deliberativo. Ele é desembargador do Tribunal de Justiça do Estado.

Em sua decisão, o juiz concordou com a decisão da comissão eleitoral corintiana.

Para convencer o magistrado a lhe dar parecer favorável, Citadini chegou a dizer que bastaria se aposentar do TCE, caso seja eleito presidente do Corinthians, e a acumulação de cargos não aconteceria. Mas Luis Fernando Nardelli desconsiderou o argumento lembrando que, de acordo com o estatuto do clube, após a apuração dos votos, o candidato vencedor é empossado imediatamente.

Citadini terá 15 dias para se manifestar, o que dificulta a chance de reverter o quadro político e participar do pleito, marcado para 3 de fevereiro no Parque São Jorge.

A alternativa mais viável para ele é entrar com novo pedido de tutela de urgência, desta vez no Tribunal de Justiça de São Paulo.

Há a possibilidade também de tentar uma reunião extraordinária do conselho deliberativo, mas esta medida não é unanimidade mesmo em seu grupo político, que não vê grande chance de vitória entre os demais conselheiros.

Mesmo a linha jurídica apresentada no pedido de tutela não convenceu todos os aliados de Citadini. Houve pedidos para que o texto não se concentrasse tanto em críticas a Guilherme Strenger e focasse mais no fato de não haver conflito de interesses entre ser presidente do Corinthians e conselheiro do Tribunal de Contas.

NOVA DECISÃO

A comissão eleitoral deve apresentar decisões que podem impugnar também as candidaturas de Paulo Garcia e Andrés Sanchez. Ambos são acusados de pagar a regularização de sócios para que se tornassem aptos a votar na eleição, aproveitando anistia oferecida pela diretoria executiva. A decisão não havia sido tomada até o fechamento desta edição.

A situação de Garcia é considerada mais difícil porque ele admitiu publicamente ter feito os pagamentos e até deixou seu cartão de crédito na secretaria do clube. Sanchez nega a participação.

Além deles, Felipe Ezabella e Romeu Tuma Júnior são candidatos.

O portal TNOnline.com.br não se responsabiliza pelos comentários, opiniões, depoimentos, mensagens ou qualquer outro tipo de conteúdo. Seu comentário passará por um filtro de moderação. O portal TNOnline.com.br não se obriga a publicar caso não esteja de acordo com a política de privacidade do site. Leia aqui o termo de uso e responsabilidade.

Edhucca

Últimas de Esportes

×

Newsletter

Conteúdo direto para você:

Quero Receber