Facebook Img Logo
  1. Edhucca Banner
Mais lidas
Esportes

Medo de valorização e pressão levaram Coutinho ao Barça em janeiro de 2018

.

PEDRO IVO ALMEIDA E THIAGO FERNANDES

RIO DE JANEIRO, RJ, E BELO HORIZONTE, MG (UOL/FOLHAPRESS) - Uma negociação que ocorre há pelo menos seis meses. Mas que só teve um desfecho positivo na tarde desse sábado (6) por alguns motivos, como a pressão do estafe do jogador e o temor de sua valorização no mercado da bola.

O "não" do Liverpool ao Barcelona em agosto passado, mesmo com "transfer request" solicitado pelo atleta, veio junto de uma promessa a Philippe Coutinho. Os Reds seriam mais maleáveis em uma tentativa no mercado da bola de julho de 2018.

O clube espanhol não teve dúvida e prometeu ao estafe do brasileiro que atenderia à exigência dos britânicos, tentando um acordo após a Copa do Mundo de 2018. Porém, pouco antes do Natal, o Barça mudou a sua estratégia. A ideia era tentar um acordo em janeiro para evitar uma valorização ainda maior do camisa 10, destaque do Liverpool na Premier League.

Além disso, os catalães temiam que os Reds voltassem a ter uma postura complicada em julho. O medo de que Coutinho valesse mais que o montante pago nesta janela e o temor de mais um jogo duro dos ingleses fizeram o Barça buscar o meia-atacante.

Pouco antes do Natal, Kia Joorabchian e Giuliano Bertolucci, agentes do craque, foram informados que uma proposta de 160 milhões de euros (R$ 620 mi) era confeccionada -120 milhões à vista e 40 milhões em variáveis. A expectativa era fechar o acordo no primeiro fim de semana de 2018.

Na quinta-feira (4), os agentes brasileiro e iraniano foram à Inglaterra com a proposta na mala e uma missão: convencer o Liverpool de que a venda de Coutinho deveria ocorrer.

Envolvido nas conversas, o atleta que se tornou um dos pilares da seleção brasileira foi liberado por Jürgen Klopp dos treinamentos. Enquanto o elenco foi a Dubai para algumas atividades, Coutinho permaneceu na Inglaterra.

Após algumas rodadas de tratativas, o Liverpool cedeu à pressão do jogador e de seus representantes, interessados em uma mudança para o Camp Nou desde o primeiro contato, ocorrido após a venda de Neymar ao Paris Saint-Germain por 222 milhões de euros.

A vontade de que o negócio se encerrasse nesta janela era tão grande que Coutinho abdicou de receber 10 milhões de euros (R$ 38 mi) em bonificações dos Reds para se mudar para a Espanha.

Na manhã deste sábado, com tudo praticamente certo, a diretoria do Liverpool liberou o jogador para finalizar a mudança à Catalunha. Antes mesmo do anúncio do Barcelona, o clube retirou as camisetas do atleta de suas lojas espalhadas por Merseyside, condado localizado no noroeste da Inglaterra. Pouco tempo depois, os Reds deram um voucher de 50 libras (R$ 220) para os torcedores que compraram um uniforme com o nome do atleta.

Já anunciado pelos catalães, Philippe Coutinho assinará contrato de cinco anos. Ele estará no Camp Nou neste domingo (7), quando o Barça enfrentará o Levante, pelo Campeonato Espanhol.

O portal TNOnline.com.br não se responsabiliza pelos comentários, opiniões, depoimentos, mensagens ou qualquer outro tipo de conteúdo. Seu comentário passará por um filtro de moderação. O portal TNOnline.com.br não se obriga a publicar caso não esteja de acordo com a política de privacidade do site. Leia aqui o termo de uso e responsabilidade.

Edhucca

Últimas de Esportes

×

Newsletter

Conteúdo direto para você:

Quero Receber