Mais lidas
Esportes

Cruzeiro adota nova política e quer evitar empréstimos pagando salários

.

ENRICO BRUNO E THIAGO FERNANDES

BELO HORIZONTE, MG (UOL/FOLHAPRESS) - Aliviar a folha salarial do Cruzeiro é um dos objetivos de Itair Machado, novo vice de futebol. Mesmo que o clube tenha feito investimentos elevados, como as chegadas de Fred e Edilson, que recebem R$ 500 mil mensais cada, a ideia da diretoria é reduzir o valor pago por mês -avaliado em R$ 8 milhões até dezembro de 2017.

Uma das tentativas em diminuir o pagamento mensal é se livrar de atletas emprestados que não estão nos planos de Mano Menezes. O caso de Willians, que defendeu o Goiás em 2017, é o mais emblemático.

O volante recebe R$ 200 mil por mês na Toca da Raposa II, e os mineiros tinham a incumbência de pagá-lo durante a passagem pelo Serra Dourada, entre abril e dezembro do ano passado. O contrato do meio-campista se encerra em fevereiro.

O vice-presidente de futebol pretende se desfazer de parte destes atletas ou emprestá-los sem que o Cruzeiro tenha obrigação de pagar vencimentos.

Eugenio Mena, Douglas Grolli, Pará, Willian Farias e outros estão entre os nomes que serão realocados pelo clube de BH. A ideia, porém, neste momento é evitar que o orçamento do time seja onerado.

"Esse é um dos maiores problemas que enfrentamos, temos vários atletas que foram emprestados pela diretoria anterior, mas quem paga o salário é o Cruzeiro. Temos que melhorar, pois gastamos grande parte da nossa folha se destinada a isso", declarou Itair Machado.

O vice de futebol cita o exemplo de Willians para justificar a nova postura do clube:

"Atualmente o Cruzeiro paga mais de R$ 200 mil mensais para o jogador sem que ele atue com a nossa camisa. É preciso tentar negociar isso para que, daqui para a frente, emprestemos nossos jogadores com um custo menor para o Cruzeiro", concluiu.

×

Newsletter

Conteúdo direto para você:

Quero Receber