Esportes

Lucas brilha após mudar de nome e ajuda São Paulo a quebrar tabu contra Palmeiras

Da Redação ·
De quebra, o São Paulo quebrou um jejum de 13 anos sem vencer o Palmeiras
fonte: Agências
De quebra, o São Paulo quebrou um jejum de 13 anos sem vencer o Palmeiras

Em um jogo fraco para um público também abaixo da média (16 mil presentes), o meia Lucas destoou dos demais ao marcar o primeiro gol após mudar de nome e, com uma grande atuação, ajudar o São Paulo a vencer o Palmeiras por 2 a 0 no Pacaembu.

continua após publicidade

De quebra, o São Paulo quebrou um jejum de 13 anos sem vencer o Palmeiras neste estádio. O time tricolor subiu na tabela de classificação e, com 31 pontos, ocupa o oitavo lugar. Já a equipe alviverde estacionou nos 29 e caiu para o décimo segundo posto. Os palestrinos também seguem na ‘montanha-russa’ neste Brasileirão, já que são brilhantes numa partida, e caem demais de produção em outros confrontos.

O Palmeiras tentará a reabilitação na competição na próxima quarta-feira contra o Grêmio Prudente, às 19h30, fora de casa. No mesmo horário, São Paulo e Guarani se enfrentam no Morumbi.

continua após publicidade

Os dois treinadores inovaram nas escalações de Palmeiras e São Paulo tentando surpreender o adversário. Luiz Felipe Scolari escalou Tadeu na vaga de Kleber e Valdivia no meio no lugar de Tinga, enquanto Sergio Baresi colocou o meia Ilsinho na vaga de Dagoberto.

“Não ainda [prontos para jogar mais aberto]. Mas é o que temos no momento pela dificuldade de pontos”, reconheceu Felipão antes da partida. “Estamos com dois atacantes, Fernandão e Marcelinho [Lucas]”, explicou Baresi, indicando como o São Paulo atuaria em campo.

Com Rodrigo Souto de zagueiro e no 3-5-2, o São Paulo chegou de forma mais agressiva que o Palmeiras no início da primeira etapa. O time alviverde iniciou o duelo nervoso e reclamando muito da arbitragem, sem levar perigo para a meta do goleiro Rogério Ceni.

continua após publicidade

Mas Ilsinho se contundiu logo no início da partida em lance isolado, e Baresi se viu obrigado a colocar o garoto volante Zé Vitor no seu lugar. Depois disso, o jogo ficou muito parelho e sem chances de gol.

O destaque ficou para Felipão, que reclamou da arbitragem, foi ‘dedurado’ pelo assistente e expulso de campo pelo árbitro José Henrique de Carvalho. O treinador demorou por volta de cinco minutos para sair do gramado, para depois acompanhar a partida das tribunas cercado por sete seguranças.

O Palmeiras também perdeu um jogador por causa de lesão: o atacante Ewerthon deixou o gramado para a entrada do volante Tinga no seu lugar. Valdivia passou a jogar mais adiantado. Com isso, o São Paulo também mudou, pois Baresi avançou Rodrigo Souto e passou a escalar o time no 4-4-2.

continua após publicidade

Saldo do primeiro tempo: partida muito fraca tecnicamente, como admitiram os são-paulinos na saída do gramado (vale lembrar que o Palmeiras não fala no intervalo). “Tecnicamente a partida não é das melhores”, disse o goleiro Rogério Ceni.

Em lance isolado, o São Paulo chegou ao gol com Lucas no início do segundo tempo. Depois disso, o Palmeiras reagiu na partida e obrigou Rogério Ceni a fazer duas boas defesas, e o jogo ‘esquentou’.

Mas a tarde era realmente dele. Em um ataque, Lucas fintou como quis dois jogadores, mas errou o cruzamento. No outro, deu até chapéu e quase fez um gol de placa. Na terceira tentativa, deu um belo passe para Fernandão marcar e praticamente definir a partida.

Depois disso, o Palmeiras tentou até mudar a situação com a entrada do atacante Patrik no lugar do zagueiro Fabrício (que atuou como lateral-esquerdo), mas de nada adiantou, para desespero da torcida palmeirense, que até começou a sair antes do fim da partida. Já os torcedores do São Paulo até gritaram olé e segunda divisão, em provocação aos rivais.