Mais lidas
Esportes

Tite lastima não poder jogar nenhuma vez na cidade de Sochi

.

SÉRGIO RANGEL, ENVIADO ESPECIAL

MOSCOU, RÚSSIA (FOLHAPRESS) - Se os adversários do Brasil definidos no sorteio da sexta (1º) não chegam a causar muitas preocupações, o técnico Tite admite ter achado ruim não jogar nenhuma partida em Sochi no mundial.

"Sem meias palavras. Não gostei. Lastimo. Gostaríamos que tivéssemos um jogo em Sochi" disse Tite em entrevista à reportagem ainda na Rússia.

A CBF havia anunciado um dia antes do sorteio dos grupos que a base da seleção em território russo seria a cidade de Sochi, que fica às margens do Mar Negro. Além da infraestrutura, a temperatura agradou à equipe da CBF.

Com o plano mantido, que é ficar na cidade no sudoeste do país até as quartas, sair para jogar e voltar, a seleção viajará um total de 7.376 quilômetros na primeira fase. Contando os voos de ida e volta.

São Paulo a Manaus, por avião, equivale a 5.380 km aproximadamente.

"O aleatório é o aleatório. Nós tínhamos que decidir [a base] antes. A minha prioridade era ter dois bons campos de treinamento, um hotel bem próximo para recuperação e alimentação. Sochi nos ofereceu isso. A estrutura de lá potencializa o nosso tempo", afirma Tite.

Na primeira fase, o Brasil atuará em Rostov-do-Don, São Petersburgo e na capital Moscou. Os adversários serão, respectivamente, Suíça, Costa Rica e Sérvia.

Mesmo que o Brasil chegue até a final não vai ter jogado nenhuma vez na cidade que escolheu como casa.

Se for líder da chave, o roteiro será Samara, Kazan, São Petersburgo e Moscou.

A segunda colocação levará os jogadores para São Petersburgo, Samara e Moscou.

Após as quartas, o plano do Brasil é deslocar-se apenas entre São Petersburgo e a capital Moscou, que estão separadas por 634 km por via aérea em linha reta.

×

Newsletter

Conteúdo direto para você:

Quero Receber