Mais lidas
Esportes

Sorteio deixa Copa sem confrontos entre campeões na fase de grupos

.

ALEX SABINO E SERGIO RANGEL, ENVIADOS ESPECIAIS

MOSCOU, RÚSSIA (FOLHAPRESS) - A Copa de 2018 não terá um "grupo da morte". O sorteio das chaves realizado em Moscou nesta sexta (1º) determinou que na primeira fase não haverá clássicos entre as principais seleções do futebol mundial. Também não acontecerá nenhum confronto entre equipes campeãs.

Espanha, Uruguai e Inglaterra estavam no pote 2 e poderiam cruzar o caminho dos também campeões e cabeças de chave França, Alemanha, Argentina e Brasil.

O sorteio foi tudo o que os anfitriões queriam. A Rússia fará a abertura da Copa em 14 de junho, em Moscou, contra a Arábia Saudita. Pelo ranking da Fifa, divulgado em outubro e usado para a definição dos potes, são as duas piores seleções classificadas.

Os russos estão no 65º lugar, e os árabes, no 63º. A principal pedra para os donos da casa deverá ser o Uruguai, que também está no grupo, assim como o Egito.

O principal confronto da primeira fase será entre Portugal e Espanha, vizinhos na Península Ibérica e que se enfrentaram pela última vez em Mundiais em 2010. Os espanhóis ganharam por 1 a 0 nas oitavas e foram campeões.

Irã e Marrocos também estão na chave, mas portugueses e espanhóis são os favoritos a avançarem na que possivelmente será a última Copa de Cristiano Ronaldo. Na abertura do torneio de 2018, ele estará com 33 anos.

O anúncio da Espanha no mesmo grupo de Portugal foi um dos únicos dois momentos de frisson na plateia no Palácio do Kremlin.

O outro foi quando ficou definido que a Rússia faria o primeiro jogo com a Arábia Saudita. Aconteceram aplausos dos locais pela possível facilidade na partida.

A falta de grandes rivalidades fez com que a abertura das bolas com os nomes das seleções acontecesse em clima de tranquilidade.

Nem mesmo o apresentador Gary Lineker, artilheiro do Mundial de 1986, fez piadas, o que é uma de suas características na TV britânica.

A única brincadeira foi quando disse que Diego Maradona, após colocar a Islândia no grupo da Argentina, era "bom com as mãos". A lembrança era o gol da "mão de Deus", anotado por ele contra a Inglaterra em 1986.

Maradona foi quem causou a maior polêmica da noite, ao dar uma alfinetada no técnico da seleção de seu país, Jorge Sampaoli. Disse que o grupo seria difícil porque a equipe estava jogando mal.

O treinador respondeu após o sorteio. "Não me preocupo com isso. Tenho o maior jogador da história no meu time", colocando Messi um patamar acima de Maradona.

×

Newsletter

Conteúdo direto para você:

Quero Receber