Mais lidas
Esportes

Corinthians investe menos que rivais e leva dois títulos na temporada

.

ALEX SABINO

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - O dinheiro não comprou títulos em 2017. Campeão paulista, o Corinthians confirmou mais um troféu brasileiro nesta quarta-feira (15), apesar de ter o menor poder de investimento entre os quatro grandes de São Paulo.

O time alvinegro garantiu a taça ao derrotar o Fluminense por 3 a 1, no Itaquerão, e chegar aos 71 pontos —a três rodadas do fim, não pode mais ser alcançado pelo segundo colocado, o Grêmio, com dez pontos a menos.

Para a montagem do elenco de 2017, o Corinthians investiu R$ 10,1 milhões.

A aquisição mais cara foi o zagueiro Pablo, que estava no Bordeaux (FRA) e custou R$ 4,4 milhões. Entre os reforços estavam o atacante Luidy, que não foi utilizado no Brasileiro. Ele custou R$ 1,2 milhão para sair do CRB e está emprestado ao Figueirense.

A CBF vai pagar R$ 18 milhões para o clube campeão, R$ 7,9 milhões a mais do que o Corinthians gastou (sem contar salários e luvas) pelas contratações de Pablo, Clayson, Kazim e Luidy. ‘Teve time que gastou R$ 100 milhões e não ganhou nada. Não gastei e estou na frente‘, disse o presidente Roberto de Andrade no sábado (11) após vitória sobre o Avaí.

Era uma referência ao Palmeiras que, com a ajuda da patrocinadora Crefisa, conquistou o Brasileiro do ano passado e, em 2017, investiu R$ 88,2 milhões antes ou durante o Brasileiro. Apenas a chegada do colombiano Borja custou R$ 33 milhões.

A declaração de Roberto de Andrade foi, em parte, resposta a quem reclamou da ausência de contratações de impacto do clube no início do ano. Nesse bojo, entra também Fabio Carille, o técnico menos renomado entre os principais times do Estado quando o ano iniciou.

Palmeiras, São Paulo e Santos trocaram de treinadores em 2017. Todos eles tiveram três nomes comandando o time. Menos o Corinthians, que manteve Carille.

Para tentar montar o elenco durante o ano e apavorado pelo risco de rebaixamento —aliviado apenas com a chegada de Dorival Júnior— o São Paulo investiu R$ 43,7 milhões em reforços.

O mais caro foi o argentino Lucas Pratto: R$ 20,5 milhões.

Todos os principais rivais paulistas do Corinthians desembolsaram mais em apenas um reforço do que os quatro adquiridos pelo líder do Brasileiro. O Santos investiu R$ 14 milhões para ter Bruno Henrique. Ao todo, desembolsou R$ 26,3 milhões em novos jogadores. ‘Sei que daqui para a frente a cobrança será maior. Desconfiança, pressão, vivi todos os lados neste ano. Foi um aprendizado enorme‘, disse Carille, que passou nove anos como auxiliar no Corinthians antes de ser efetivado.

×

Newsletter

Conteúdo direto para você:

Quero Receber