Mais lidas
Esportes

Jô escapa de punição maior e desfalcará o Corinthians contra o Avaí

.

SÃO PAULO, SP (UOL/FOLHAPRESS) - O atacante Jô escapou de uma punição pesada e irá desfalcar o Corinthians por apenas um jogo.

Julgado na tarde desta quarta-feira (8) pelo STJD (Superior Tribunal de Justiça Desportiva), o camisa 7 alvinegro foi punido por agressão ao zagueiro Rodrigo na derrota para a Ponte Preta no último dia 29.

Jô cumprirá a punição somente no próximo sábado (11), diante do Avaí, em Itaquera. O atleta foi liberado para atuar contra o Atlético-PR, na Arena da Baixada, nesta quarta.

Segundo o procurador do STJD, Felipe Bevilacqua, a suspensão começa a valer somente no dia seguinte à decisão do pleno.

O camisa 7 ainda corre riscos de ficar fora dos próximos jogos do Corinthians na reta final do Brasileiro. O atacante tem dois cartões amarelos e pode perder mais um jogo se receber o terceiro.

O departamento jurídico do Corinthians, com João Zanforlim à frente da defesa, conseguiu desqualificar a denúncia. O atleta foi enquadrado no artigo 254-A (agressão física) e poderia pegar até 12 jogos de gancho.

No julgamento, Jô acabou denunciado no artigo 250 (empurrar acintosamente o companheiro ou adversário, fora da disputa da jogada) e o 254 (jogada violenta). Nos dois casos, a punição mínima é de uma partida.

Artilheiro do Campeonato Brasileiro com 16 gols, Jô chutou a canela de Rodrigo no último lance da partida contra a Ponte, em Campinas.

Na ocasião, o jogador não recebeu cartão amarelo. A agressão tampouco foi citada na súmula. Em seguida, porém, a procuradoria do STJD denunciou o atleta por agressão física após analisar as imagens.

Após a vitória sobre o Palmeiras, Jô admitiu que errou no lance. "Eu tive a reação de ter tocado nele, não me isento de total inocência. Mas tem de torcer para as coisas darem certo. Se for punido, torcer para ser a pena mínima. É preciso continuar focado, pois há jogadores que podem suprir", disse.

O atacante voltou a falar sobre o lance em um vídeo mostrado no julgamento. Nele, o camisa 7 frisa que confessou a irregularidade, mas não a agressão a Rodrigo.

"Gostaria muito de estar no tribunal, mas tenho um jogo marcado para mais tarde. Queria deixar claro nesse vídeo, em relação à agressão que estou dizendo, que confessei, mas não que agredi. Ele estava enchendo o saco, tem essa coisa de ficar catimbando, normal, tive um contato com ele, falei para ele me deixar, parar de falar, e continuar o jogo. Não foi uma agressão. Não tenho um histórico", afirmou.

×

Newsletter

Conteúdo direto para você:

Quero Receber