Mais lidas
Esportes

St-Pierre finaliza Bisping em retorno e é o novo campeão peso médio do UFC

.

SÃO PAULO, SP (UOL/FOLHAPRESS) - Depois de quase quatro anos desde a sua última luta, o canadense Georges St-Pierre retornou da aposentadoria na madrugada deste domingo (5) e finalizou Michael Bisping no terceiro round para vencer no UFC 217, em Nova York (EUA), e se sagrar o novo campeão peso médio do Ultimate.

O primeiro round começou com os dois lutadores se estudando. St-Pierre tomou as melhores iniciativas e buscou a queda faltando um minuto. Nos segundos finais, o canadense ainda acertou um superman punch e balançou o inglês antes do gongo soar.

No segundo round, Bisping acertou a mão direita no rosto de St-Pierre, que conseguiu mais uma queda e passou a meia-guarda, mas viu o inglês logo se levantar. E, na trocação, o campeão aproveitou para soltar mais golpes já que o canandense mostrou estar cansado.

St-Pierre sentiu que ficou em desvantagem em pé e tratou de conseguir mais uma queda logo no início do terceiro assalto. Mesmo por baixo, Bisping desferiu seguidas cotoveladas para castigar o rosto do desafiante.

Os dois voltaram a ficar em pé, quando o canadense conectou um cruzado de esquerda e derrubou o campeão. St-Pierre castigou o adversário no chão, foi para as costas de Bisping e encaixou o mata-leão. O inglês não bateu, apagou, e o árbitro interrompeu o duelo.

"Meu sonho virou realidade. Muito obrigado pelo apoio. Esse não é meu peso real. Fiz pelo desafio. Houve um tempo no esporte que tínhamos essas coisas. Sou pequeno para o peso-médio, mas aceitei o desafio. Achava duro, mas pareceu viável, hoje”, disse St-Pierre, que não deixou de elogiar Bisping. “Eu não quero menosprezá-lo, mas o estudei muito, o que faz com sua mão direita. Fazia parte estudar e surpreender. Foi isso que procurei. Eu coloco as armadilhas, pois tenho mais experiência no chão. Sabia que forçando talvez não fosse o melhor caminho", acrescentou.

"Artes marciais não são de quem é mais corajoso, têm a ver com inteligência, estratégia. O Michael é o cara mais duro que enfrentei, sou fã desse cara desde sempre. Ele é exemplo de que trabalho duro compensa”, afirmou.

O último combate do canadense foi em 16 de novembro de 2013, quando defendeu o cinturão dos meio-médios pela nona vez e venceu Johny Hendricks na decisão dos juízes. Após aquela luta, ele surpreendeu ao anunciar a aposentadoria dos octógonos.

Desde então, um possível retorno foi diversas vezes especulado. A volta só aconteceu neste domingo, quase quatro anos depois da despedida e direto na disputa de cinturão de uma categoria acima da que se consagrou.

'BORRACHINHA'

Johny Hendricks não teve chances contra Paulo "Borrachinha". O brasileiro massacrou o americano e venceu por nocaute técnico no segundo round na primeira luta do card principal do UFC Nova York.

Borrachinha tomou conta do octógono no primeiro round e acertou mais golpes, pressionando o adversário na grade, mas também teve que tomar cuidado com o contragolpe de esquerda do americano. Já no segundo assalto, o peso médio novamente foi para cima de Hendricks, acertou uma sequência de socos e conseguiu o nocaute técnico.

Esta foi a 11ª vitória em 11 lutas de Borrachinha no MMA. Ele tem 10 vitórias por nocaute e uma por finalização, sendo que nenhum dos combates passou do terceiro round. No UFC, foram três vitórias desde a estreia em março deste ano. Já Hendricks, que foi campeão dos meio-médios do Ultimate, vive péssima fase e amarga cinco derrotas nas últimas seis lutas.

"Em primeiro lugar, estou muito feliz de estar aqui, na maior sede de artes marciais do mundo. Obrigado, Johny Hendricks. É um cara com um coração grande e aceitou a luta comigo. Estou muito agradecido por ele! Estou aqui para mostrar quem eu sou. No Brasil, temos muitas lendas no esporte, mas quero ser a próxima lenda no UFC. Ele é um cara durão, foi um campeão, então tem muita experiência. Não é fácil vencer Johny Hendricks. Obrigado, Brasil! Vocês têm um representante forte aqui! Derek Brunson, quero te enfrentar", disse Borrachinha ainda dentro do octógono.

O americano, entretanto, não ligou muito para o pedido do brasileiro e usou o Twitter para menosprezar. "Não fiquei nem um pouco impressionado. Lento e falastrão. Faça mais lutas antes. Não estou interessado”, publicou Brunson, que venceu Lyoto Machida no UFC São Paulo no último fim de semana.

Na primeira luta desde que perdeu a disputa do cinturão dos meio-médios para Tyron Woodley em março, Stephen Thompson venceu Jorge Masvidal na decisão unânime dos juízes (30-26, 30-27 e 30-27). O americano dominou o combate do começo ao fim e não teve muitos problemas para conquistar a vitória. Ele foi tão superior que até conseguiu um knockdown no estouro do cronômetro no terceiro round.

PESO GALO

As semanas antes da luta foram de muita falação, provocações e acusações entre os ex-companheiros de time Cody Garbrandt e TJ Dillashaw. Dentro do octógono, o campeão levou a melhor no primeiro round, mas viu o adversário reagir no segundo assalto. Resultado: TJ venceu por nocaute e recuperou o cinturão peso galo no UFC 217.

No primeiro round, Cody quase conseguiu o nocaute. Ele dominou o octógono, conectou os melhores golpes e acertou em cheio a mão direita no queixo de Dillashaw, levando o adversário para o chão. O ex-campeão foi salvo pelo gongo.

No segundo assalto, a história mudou, e foi a vez de Dillashaw acertar um chute alto e levar Garbrandt para o chão, mas o campeão conseguiu se levantar rapidamente. Pouco depois, o ex-campeão acertou cruzado no queixo de Cody que desabou. TJ ainda soltou inúmeros golpes na cabeça do rival, e árbitro interrompeu o duelo.

Esta foi a primeira derrota da carreira do então campeão, que tinha 11 vitórias em 11 lutas no MMA. Já Dillashaw recupera o título da categoria depois de perder o cinturão para Dominick Cruz em janeiro do ano passado.

FEMININO

A era de Joanna Jedrzejczyk como campeã acabou. Na madrugada deste domingo, a polonesa era a grande favorita para vencer Rose Namajunas no UFC 2017, mas a americana surpreendeu e nocauteou a polonesa aos 3min03s do primeiro round para se tornar a nova campeã peso palha do UFC.

Joanna precisava de uma vitória para se isolar como recordista com o maior número de defesas de cinturão da história do UFC. Porém, com a primeira derrota da carreira, ela fica empatada com Ronda Rousey com seis defesas bem-sucedidas.

Antes da luta, a então campeã provocou seguidas vezes Namajunas e até colocou a mão na cara da adversária na pesagem. A americana, entretanto, não se deixou abalar e manteve a seriedade em todo o momento, o que foi recompensado dentro do octógono.

Logo no primeiro round do duelo em Nova York, Namajunas conectou um bom soco e derrubou Joanna. A polonesa conseguiu se manter em pé, mas pouco depois sofreu outro knockdown e viu o árbitro encerrar o combate.

"Não parece real, parece que estou em um filme. Eu vi muita besteira na mídia, só queria entrar e usar o que tenho para seguir meus sonhos. O cinturão é só um extra, no fim das contas, é só entretenimento", disse a nova campeã do UFC ainda no octógono.

×

Newsletter

Conteúdo direto para você:

Quero Receber