Mais lidas
Esportes

Seleção estreia Granja com Tite de olho em estratégia para Copa-2018

.

DASSLER MARQUES E PEDRO IVO ALMEIDA

TERESÓPOLIS, RJ (UOL/FOLHAPRESS) - A seleção brasileira trabalha a partir desta segunda-feira (2) por três dias na Granja Comary, um expediente incomum para a equipe de Tite do ponto de vista logístico nas Eliminatórias. A sutil mudança antes dos jogos contra Bolívia (5, em La Paz) e Chile (10, em São Paulo) tem algumas explicações. E uma delas remete a um objetivo: a Copa do Mundo na Rússia.

De toda a logística para o Mundial de 2018, uma coisa já está definida: os 23 convocados de Tite treinarão os primeiros quatro ou cinco dias em Teresópolis. O planejamento aponta para testes físicos e médicos na Granja, além de um treino aberto para patrocinadores e partida da torcida local. Na sequência, o grupo embarca para a Europa, onde ainda fará um período de aclimatação pré-Rússia.

Desde que assumiu a seleção brasileira, há mais de um ano, Tite ainda não teve oportunidades de treinar seus jogadores no centro de treinamento da CBF. As visitas a Teresópolis foram pontuais, como na preparação do time sub-23 nos Jogos Olímpicos do Rio. Agora, a atual comissão técnica irá usar aquela que efetivamente era a última chance de trabalhar na Granja antes da preparação da Copa.

Ao fim das Eliminatórias na próxima semana, o Brasil terá apenas mais duas convocações para amistosos -em novembro e março- antes da lista definitiva para a Rússia. Os quatro jogos (Alemanha, Inglaterra e Japão já foram confirmados) serão realizados na Europa, o que deixou Tite diante de sua oportunidade quase única para conhecer a Granja, identificar carências e eventuais ajustes estruturais para o período preparatório do Mundial.

Nas outras ocasiões em que reuniu a seleção nas Eliminatórias, Tite, por questões de prioridades logísticas, não trabalhou na Granja Comary. Para facilitar os deslocamentos e aproveitar o maior tempo possível de treino e descanso, o selecionado fez atividades em outras cidades brasileiras, casos de Manaus, São Paulo, Porto Alegre, Belo Horizonte e Natal.

Em agosto do ano passado, quando Tite ainda estreava diante do Equador, a seleção brasileira viajou diretamente a Quito, onde realizou três treinamentos e venceu a equipe da casa por 3 a 0. A logística foi considerada uma das razões para o bom desempenho na época.

Desta vez contra a Bolívia, em confronto com circunstâncias similares e altitude, a opção porém foi outra. Os três dias de trabalhos serão aproveitados na Granja Comary. No retorno do jogo em território boliviano, a seleção irá trabalhar em São Paulo, palco do duelo final das Eliminatórias contra o Chile.

"A Granja é a nossa casa. E também optamos por chegar a La Paz apenas no dia do jogo. Então acabamos realizando essa preparação em Teresópolis. Temos todas as condições lá e viajar do Rio de Janeiro também é tranquilo", explicou o preparador físico da seleção, Fábio Mahseredjian.

Reformada pela CBF para a Copa 2014, a sede de Teresópolis deverá ser a primeira escala do Brasil em maio do ano que vem, até mesmo por questões comerciais, que envolvem patrocinadores da entidade. A ideia do coordenador de seleções Edu Gaspar é que haja um período de treinamentos em Londres como ponte para a viagem final à Rússia, onde o Brasil tentará conquistar o hexacampeonato mundial. Por lá, a cidade de Sochi é a favorita para receber os brasileiros.

×

Newsletter

Conteúdo direto para você:

Quero Receber