Mais lidas
Esportes

Cavani recusou R$ 3,7 mi para deixar de ser o cobrador do PSG, diz jornal

.

SÃO PAULO, SP (UOL/FOLHAPRESS) - O jornal espanhol "El País" noticiou que o PSG ofereceu 1 milhão de euros (cerca de R$ 3,7 milhões) para Edinson Cavani. Em troca, o uruguaio renunciaria ao posto de cobrador oficial do time francês. Mas Cavani recusou a proposta.

De acordo com a publicação, a oferta feita pelo presidente do PSG Nasser Al-Khelaifi era uma tentativa de solucionar definitivamente a polêmica com Neymar.

Cavani teria respondido à diretoria que dinheiro não era o problema em questão.

Após a negativa de Cavani, um intermediário do PSG foi então em direção a Neymar. O pedido era para que o atacante brasileiro esquecesse a polêmica e deixasse gentilmente as cobranças para Cavani. Segundo o "El País", Neymar não levou adiante a conversa.

Os dois atacantes discutiram em campo durante partida contra o Lyon, pelo Campeonato Francês.

Foram dois bate-bocas. No primeiro atrito, Neymar levou a melhor, cobrando a falta próxima à área. Na segunda discussão, Cavani pegou a bola e cobrou o pênalti.

O jornal francês "L'Équipe" noticiou que a motivação do uruguaio para não deixar o brasileiro bater pênaltis pode ter um aspecto financeiro.

Segundo a publicação, o camisa 9 receberá um bônus de 1 milhão de euros (cerca de R$ 3,7 milhões) se for o artilheiro do Campeonato Francês nesta temporada.

A cláusula é parecida com a que constava no contrato de Zlatan Ibrahimovic, astro do PSG até sua saída no ano passado. O sueco receberia 1,5 milhões de euros (R$ 5,62 milhões) sempre que liderasse o campeonato na soma de gols e assistências.

Para acabar com a indefinição nas cobranças, o PSG quis adiantar o bônus de artilharia a Cavani antes mesmo do fim do campeonato, mas com a condição que ele cedesse a bola parada a Neymar.

O jornal francês também afirma que ainda não se sabe se Neymar tem uma bonificação parecida prevista em seu contrato. O PSG pagou 222 milhões de euros, valor recorde na história do futebol, para tirar o brasileiro do Barcelona em agosto.

Na última temporada, Cavani foi o artilheiro do PSG com 49 gols em 50 jogos. Por enquanto, o uruguaio segue como batedor oficial de pênaltis da equipe.

DESCULPAS

De acordo com o "L'Équipe", partiu de Neymar a iniciativa de se desculpar com seus colegas de PSG por conta de uma discussão com Cavani no vestiário após o jogo contra o Lyon.

O jornal explicou que Neymar, que não fala francês, chamou Thiago Silva para ser o tradutor. O zagueiro brasileiro repassou ao grupo o pedido de desculpas de Neymar.

O "L'Équipe" havia publicado no começo da semana, a confusão no vestiário começou quando Cavani se aproximou de Neymar para falar, em espanhol, que não havia gostado da atitude do brasileiro. Thiago Silva tentou acalmar os dois e evitou que a discussão fosse além.

ATRITO

A relação entre Neymar e Cavani já estava estremecida antes do pênalti segundo o "El País". O azedamento ocorreu após a Fifa pressionar o PSG pelo "Fair Play Financeiro".

O PSG gastou 222 milhões de euros na compra de Neymar. Com receio de sofrer punições da Fifa pelo alto valor investido e equilibrar a relação "compra x vendas", o time francês pressionou empresários e intermediários a negociarem o quanto antes alguns atletas do elenco.

Entre os que foram avisados de que poderiam sair estavam Di Maria, Pastore, Matuidi (negociado com a Juventus), Lucas Moura, Draxler, Ben Arfa, Aurier e Thiago Silva.

O "El País" afirmou que Cavani havia se indignado com a postura do PSG, se mostrando contrário à estratégia de se desfazer de parte do elenco para ter Neymar.

×

Newsletter

Conteúdo direto para você:

Quero Receber