Mais lidas
Esportes

Atlético-PR acerta a trave quatro vezes e busca empate com o Coritiba

.

SÃO PAULO, SP (UOL/FOLHAPRESS) - Atlético-PR e Coritiba fizeram um clássico eletrizante, neste domingo (10), na Arena da Baixada. Os donos da casa acertaram a trave quatro vezes, perderam um pênalti e empataram em jogo muito movimentado: 1 a 1 em duelo válido pela 23ª rodada do Campeonato Brasileiro.

A situação dos dois times é bastante diferente na tabela. Com o empate, o Atlético-PR perde a chance de entrar no G-6 e tem 31 pontos, na nona colocação. Já o Coritiba soma 27 e está em 14º na tabela, a dois pontos do Z-4.

Na 24ª rodada do Brasileiro, o Atlético-PR volta a jogar em casa e recebe o Fluminense no próximo domingo, às 16h. Um dia depois, na segunda-feira, o Coritiba visita o Palmeiras, às 20h.

Os grandes destaques da partida estiveram de lados opostos no campo. Pelo Coritiba, Wilson contou com a sorte da trave, mas também fechou o gol quando necessário, fez duas boas defesas em finalizações de Lucas Fernandes e outra à queima roupa em cabeçada de Paulo André.

Já Felipe Gedoz, que entrou no lugar de Lucas Fernandes, mudou a cara do jogo, acertou a trave em cobrança de falta, depois sofreu o segundo pênalti do Atlético-PR e garantiu o empate para os donos da casa.

A primeira etapa do clássico foi quente. Logo no começo de jogo, uma sequência de faltas duras e poucos cartões amarelos mostrados pelo árbitro Anderson Daronco. Teve troca de cotoveladas entre Kleber e Paulo André, bate-boca e entradas fortes entre Fabrício e Léo.

O Atlético-PR dominou praticamente o tempo todo durante os 45 minutos. Os donos da casa chegaram a acertar a trave após cabeçada de Paulo André, viram Wilson espalmar chute cruzado de Lucas Fernandes e ainda tiveram a melhor oportunidade com um pênalti aos 41. O mesmo Lucas Fernandes foi derrubado dentro da área por Alan Santos, mas Nikão chutou na trave e desperdiçou a cobrança.

No segundo tempo, a trave voltou a aparecer duas vezes. Aos 25 min, após cobrança de falta de Felipe Gedoz e nos acréscimos, em chute de Ribamar.

As bolas na trave no primeiro tempo custaram muito caro. Aos 44 min, o Coritiba abriu o placar na Arena. Longuine cobrou falta para dentro da área, e Werley desviou a bola para o canto esquerdo de Weverton: 1 a 0 amargo para os atleticanos.

Atrás do placar, o Atlético-PR foi com tudo para o ataque no segundo tempo e conseguiu o empate aos 41 min. Felipe Gedoz entrou na área, foi derrubado por Iago e sofreu o pênalti. Ele mesmo foi para a cobrança e não desperdiçou o segundo pênalti dos donos da casa na partida.

Kleber Gladiador voltou a jogar pelo Coritiba e foi escalado entre os titulares por Marcelo Oliveira depois de 11 jogos fora. Ele cumpriu punição por cusparada e agressão no jogo contra o Bahia e também pela lesão sofrida antes da partida contra o Vitória, na última rodada. Neste domingo, o atacante não participou muito do primeiro tempo, recebeu uma cotovelada de Paulo André e depois devolveu a agressão no zagueiro atleticano.

Ainda na etapa inicial, Kleber recebeu o cartão amarelo por reclamação após pênalti marcado contra o time alviverde. Já na etapa final, o camisa 83 tentou finalização distante, mas a bola foi para longe.

O duelo deste domingo ainda teve como novidade a implantação do sistema biométrico para todos os torcedores, tanto do Atlético-PR quanto do Coritiba. Quem não fez o cadastro ainda pôde realizá-lo antes da partida, mas algumas pessoas perderam o começo da partida nas filas do cadastro.

ATLÉTICO-PR:

Weverton; Jonathan, Thiago Heleno, Paulo André e Fabrício; Pavez, Lucho (Matheus Rossetto), Guilherme, Lucas Fernandes (Felipe Gedoz) e Nikão; Ederson (Ribamar)

T.: Fabiano Soares

CORITIBA:

Wilson; Léo, Walisson Maia, Werley (Cléber Reis) e William Matheus; Alan Santos, Matheus Galdezani, Rafael Longuine (Tiago Real) e Rildo; Getterson (Iago Dias) e Kleber

T.: Marcelo Oliveira

Estádio: Arena da Baixada, em Curitiba

Juiz: Anderson Daronco (RS)

Gols: Werley (C), aos 44min do 1º tempo; e Felipe Gedoz (A), aos 41min do 2º tempo

Cartões amarelos: William Matheus, Kleber e Léo (C); Guilherme (A)

×

Newsletter

Conteúdo direto para você:

Quero Receber