Mais lidas
Esportes

Convocado pela primeira vez, Luan aposta em sua versatilidade para ir à Rússia

.

LUIZ COSENZO, ENVIADO ESPECIAL

PORTO ALEGRE, RS (FOLHAPRESS) - Há um ano, Luan, 24, conquistava o título mais relevante de sua carreira: o ouro na Olimpíada do Rio. Hoje, o atacante tem mais uma chance na seleção brasileira, desta vez na equipe principal.

Ele foi convocado por Tite para os jogos contra Equador, na quinta (31), e Colômbia, em 5 de setembro, pelas eliminatórias sul-americanas da Copa do Mundo de 2018.

Considerado um dos melhores jogadores em atividade no futebol brasileiro, o atacante aposta na sua principal característica, a versatilidade, para convencer o treinador de que pode ser um dos convocados para o Mundial.

"Não tenho preferência [pela posição]. Procuro fazer o que é pedido e sempre tive liberdade para me movimentar", disse o jogador à reportagem.

Na Rio-2016, ele começou como reserva, mas ganhou a titularidade porque conseguia atuar tanto como meia-atacante como atacante.

"Pela intensidade do futebol hoje, você precisa saber executar mais de uma função, independentemente da sua posição de origem. Então, para mim é tranquilo atuar avançado, por dentro ou pelo lado", afirmou.

O camisa sete do Grêmio foi convocado para brigar por uma vaga na linha de quatro do meio de campo do time, que hoje tem como titulares Paulinho, Renato Augusto, Philippe Coutinho e Neymar.

"Espero que as minhas características possam ajudar nessa briga. São grandes nomes, jogadores de nível internacional e consagrados, nem é preciso falar sobre eles. Estou chegando agora, vou buscar meu espaço e aprender com quem já tem essa experiência maior de seleção."

Neste ano, Luan fez 14 gols e deu dez assistências pelo Grêmio. Ele tem contrato com o clube até setembro do ano que vem. Já recebeu propostas de Sampdoria (ITA) Spartak Moscou (RUS).

A janela de transferência fecha no próximo dia 31, mesmo dia em que a seleção enfrenta o Equador na Arena do Grêmio. Com 29 gols, Luan é o maior artilheiro do estádio, inaugurado no fim de 2012.

"Sempre me mantive tranquilo, focado em fazer meu trabalho. Isso para mim é o mais importante. Jogar futebol é o que eu gosto de fazer. No momento certo, as coisas vão se resolver da melhor forma pra todos os lados. É o que eu penso", disse o atacante.

TATUAGENS

Natural de São José do Rio Preto (SP), Luan jogava futsal e só teve a primeira oportunidade no campo em 2012, quando defendeu o Tanabi, time da quarta divisão de São Paulo. No ano seguinte, jogou pelo América-SP na Copa São Paulo de Futebol Júnior. Fez seis gols e chamou a atenção do Grêmio.

O atacante tem várias tatuagens, que contam um pouco sua história. No braço, tem o nome da mãe, Márcia, principal responsável por sua criação —seu pai morreu quando ele tinha quatro anos.

"Minha mãe me criou, criou meu irmão. É uma guerreira, é meu exemplo de persistência, de coragem. Sempre batalhou pela nossa família, encarando as dificuldades de frente. Eu acho que é assim que a gente deve levar a vida", afirma.

Fã do grupo de rap Racionais MC's, ele também tem uma tatuagem com a frase "Você sai da favela, mas a favela nunca sai de você", em referencia ao bairro Vila São Jorge, onde cresceu na cidade do interior de São Paulo.

Outra que chama a atenção é a dos arcos olímpicos com o logo da Rio-2016, em referência ao ouro conquistado naqueles Jogos.

×

Newsletter

Conteúdo direto para você:

Quero Receber