Esportes

Francês vaiado na Rio-16 ganha o bronze no salto com vara de Mundial

.

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - O francês Renaud Lavillenie ficou com a medalha de bronze no salto com vara no Mundial de Atletismo de Londres, nesta terça-feira (8). Ele saltou 5,89 metros na final da modalidade, atrás do americano Sam Kendricks (5,95 metros), que ganhou o ouro, e do polonês Piotr Lisek (5,89 metros) —que ficou com a prata pelos critérios de desempate.

Detentor do atual recorde da modalidade, com um salto de 6,16 metros de altura, Lavillenie também é conhecido por ter sido vaiado durante seu último salto na Rio-2016 quando disputava a final da modalidade nos Jogos contra o brasileiro Thiago Braz, medalhista de ouro. Com a prata, o francês deixou o estádio do Engenhão, onde ocorria a competição, reclamando da atitude dos torcedores.

Irritado, Lavillenie repudiou as vaias, comparando-as com manifestações semelhantes na Olimpíada de Berlim-1936, na Alemanha nazista, dirigidas ao americano Jesse Owens (1913-1980), que era negro.

O francês foi vaiado novamente na Rio-2016 durante a entrega das medalhas e chegou a chorar no pódio. Ele recebeu, naquele momento, o consolo do rival brasileiro. As vaias provocaram reações de diversos dirigentes esportivos, incluindo o presidente do COI (Comitê Olímpico Internacional), o alemão Thomas Bach, que fez críticas à torcida.

THIAGO BRAZ

Campeão olímpico do salto com vara, o brasileiro Thiago Braz está fora do Mundial de atletismo de Londres. A decisão da saída do medalhista de ouro nos Jogos do Rio foi tomada no final de julho pela CBAt (Confederação Brasileira de Atletismo) e pelo COB (Comitê Olímpico do Brasil).

O entendimento é que o atleta atravessa má fase, de deficiência técnica, e que é preciso poupá-lo para o restante do ciclo olímpico que culmina em Tóquio-2020. Ele não competirá mais nesta temporada e, em setembro, vai retomar os preparativos para a temporada indoor no início de 2018.

"Estou muito chateado por não participar do Mundial. Tentei de todas as formas me recuperar a tempo, mas infelizmente terei que adiar um dos meus grandes sonhos", afirmou Braz à reportagem em julho.