Comunique à Redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

Honda se aproxima da Red Bull com 'negociações avançadas' com time satélite

Loading...

ESPORTES

Honda se aproxima da Red Bull com 'negociações avançadas' com time satélite

JULIANNE CERASOLI

LONDRES, REINO UNIDO (UOL/FOLHAPRESS) - Depois que a Sauber anunciou que a parceria com a Honda, que começaria em 2018, foi cancelada, com o time suíço estreitando seus atuais laços com a Ferrari, a montadora japonesa vem se movimentando nos bastidores para assegurar sua permanência na F-1 independentemente da decisão da atual parceira McLaren de continuar ou não com seus motores ano que vem. E uma possibilidade que vem ganhando força nas últimas semanas pode levar o equipamento que hoje é o mais fraco da categoria à Red Bull no futuro.

A Honda vem dando fortes indicativos de que vai permanecer na categoria, com ou sem a parceria com a McLaren. O time inglês viu as negociações com a ex-parceira Mercedes esfriarem e levou uma negativa da Ferrari, negociando agora com a Renault, além de ainda existir a possibilidade real de permanecer com a Honda em 2018.

Mas os japoneses estão decididos a fornecerem motores para outra equipe, e a grande candidata é a Toro Rosso. O time satélite da Red Bull atualmente corre com os Renault.

Um entrave no negócio seria a caixa de câmbio. O projeto do motor Honda está intimamente ligado ao câmbio usado pela McLaren e a peça teria que ser vendida à Toro Rosso para evitar que o desenvolvimento comece do zero.

Mas o mais interessante dessa aproximação entre Toro Rosso e Honda, que vem ocorrendo em uma série de reuniões entre o chefe da operação japonesa Masashi Yamamoto e o consultor da Red Bull Helmut Marko, é a possibilidade da Honda equipar o próprio time principal no futuro.

A Fórmula 1 estuda a adoção de novos motores a partir de 2021 e, ainda que a Red Bull também estude tornar-se a equipe de fábrica de montadoras que vêm demonstrando interesse em entrar na categoria devido à mudança, o próprio exemplo da Mercedes, que começou cedo a trabalhar no motor que estreou em 2014 e que foi o grande responsável pelo domínio dos alemães na categoria nos anos seguintes, mostra a vantagem de trabalhar com uma montadora já com experiência na categoria.

Isso resolveria o grande problema que afastou a Red Bull das vitórias nos últimos anos: com o fim da equidade de motores, que valia até 2013, ter a prioridade de uma fornecedora de motores se tornou fundamental e, com a Renault, a Red Bull divide as atenções com a equipe de fábrica dos franceses.

O portal TNOnline.com.br não se responsabiliza pelos comentários, opiniões, depoimentos, mensagens ou qualquer outro tipo de conteúdo. Seu comentário passará por um filtro de moderação. O portal TNOnline.com.br não se obriga a publicar caso não esteja de acordo com a política de privacidade do site. Leia aqui o termo de uso e responsabilidade.

Últimas Notícias