Mais lidas
Esportes

ATUALIZADA - PSG faz de Neymar o mais caro da história

.

ALEX SABINO

PARIS, FRANÇA (FOLHAPRESS) - Representantes de Neymar foram à sede do Barcelona nesta quinta-feira (3), na Espanha, e deram garantias bancárias do pagamento de 222 milhões de euros (R$ 824 milhões), valor da multa rescisória. Poucas horas depois, ele foi anunciado como reforço do Paris Saint-Germain.

Sua apresentação ocorrerá nesta sexta (4), no estádio Parc des Princes, em Paris.

Na prática, foi o jogador brasileiro quem pagou a multa do rompimento de seu contrato com o clube espanhol e se transformou no nome mais caro da história do futebol, e não o clube francês.

A manobra aconteceu para que o clube francês tenha mais espaço para contornar o fair play financeiro da Uefa.

Trata-se de um mecanismo de controle para que a equipe não gaste mais do que arrecada na temporada.

Desde o início das tratativas com Neymar, a diretoria do PSG ouviu questionamentos a respeito disso. Sempre demonstrou tranquilidade porque o valor da aquisição pode ser espalhado pelos cinco anos do acordo assinado pelo atacante, até 2022.

Se for questionado sobre como conseguiu pagar um valor tão alto para se livrar do Barcelona, Neymar terá argumentos. Poderá lembrar ter contrato com a Oryux Qatar Sports Investments, companhia ligada à empresa real do Qatar que é dona do PSG.

Este acerto está incluído nos 30 milhões de euros anuais (livres de impostos) que ele vai receber para vestir a camisa do time francês.

Neymar também negocia para ser um dos garotos-propaganda da Copa de 2022, que acontece no Qatar. Pode apresentar o acordo para justificar para ter recebido empréstimo para quitar a multa com o Barcelona. O valor do contrato de patrocínio não foi definido.

Toda a negociação estava alinhada desde a semana passada, quando Neymar foi convencido de que o melhor para sua carreira era sair da sombra de Lionel Messi e assumir um papel de protagonismo em Paris. Isso não significa que o Barcelona tenha aceitado tudo de maneira pacífica.

O clube espanhol fez questão de deixar claro, em nota divulgada, que a multa havia sido paga por Neymar. Informou que vai repassar todos os detalhes da negociação à Uefa, para que a entidade tome medidas disciplinares se o PSG não cumprir as normas do fair play Financeiro.

Em 2014, o time francês foi punido por não se enquadrar nas normas. Além de receber uma multa, acabou obrigado a jogar a Liga dos Campeões com 21 inscritos, quatro a menos que o previsto. A reincidência faria com que a sanção se tornasse mais pesada.

Consultada, a Uefa disse que prefere aguardar o encerramento da janela de transferências de jogadores na Europa, em 31 de agosto, para analisar a situação.

Isso porque, até lá, a situação pode mudar. O PSG pode vender atletas, arrecadar mais dinheiro e mostrar que está dentro do fair play.

IMBRÓGLIO

A confirmação da contratação de Neymar aconteceu apenas na segunda tentativa do pagamento da multa. Quem aceitou as garantias foi o Barcelona. Antes, a Liga Espanhola, que representa os clubes espanhóis, recusou-se a atender aos advogados de Neymar.

Segundo o presidente da Liga, Javier Tebas, o PSG realiza "doping financeiro".

O clube francês cogitou apresentar uma reclamação formal à Uefa, pedindo um registro provisório para o atacante. Os advogados de Neymar ficaram nervosos com a recusa. O pai do jogador, não.

Quando comunicado, disse com tranquilidade que tudo se resolveria.

E estava certo. O chairman (espécie de presidente) do PSG, Nasser Al-Ghanin Khelafi, telefonou para o mandarário do Barcelona, Josep Maria Bartomeu, e reclamou.

O catalão avisou que o clube receberia o dinheiro e autorizaria a transferência.

O estilingue de hoje poderá ser o alvo amanhã. O time espanhol avalia que pode ter de usar o mesmo recurso para efetuar contratações milionárias no futuro.

×

Newsletter

Conteúdo direto para você:

Quero Receber