Esportes

Dedé desabafa sobre nova lesão no Cruzeiro

.

BELO HORIZONTE, MG (UOL/FOLHAPRESS) - Dedé se recupera de nova lesão. O zagueiro sofreu um edema ósseo no joelho esquerdo e está sob cuidados do departamento médico desde 10 de junho passado. Nesta terça-feira (1º), o Mito, como é conhecido, utilizou seu perfil no Instagram para desabafar sobre o problema clínico.

Criticado por alguns torcedores pelo período em que está fora de combate, o defensor lamentou a nova contusão:

"Eu sei que muitos torcedores não entendem e também sei que não vão ligar, mas eu deixo minha mensagem aqui para aqueles que acham que estou feliz em tratamento e pensam que não quero voltar, só quero deixar bem claro que não estou e nem nunca fui acomodado. Infelizmente, veio esta lesão em um retorno em que estava me sentindo tão bem tanto jogando quanto de lesões. Cada dia que estava treinando, eu achava que nunca mais teria uma lesão. Infelizmente, tive e sei que isso acontece. Está sendo muito difícil para mim", escreveu.

"Estou tentando voltar, sei que muitos torcem por isso e agradeço pelo carinho e pela torcida. Só esclarecendo o que quero muito e o que penso. E vamos para mais um dia de luta", acrescentou.

Na atual temporada, Dedé retornou aos gramados em 21 de março e entrou em campo por outras seis vezes. Após a lesão do companheiro Manoel, o zagueiro herdou a vaga no time e agradou nas quatro partidas como titular. Contudo, diante do Santos, no início do Brasileirão, o defensor foi substituído no segundo tempo e desde então não voltou mais ao time. À época, Sérgio Freire Júnior, médico do Cruzeiro, fez a análise sobre o quadro clínico de Dedé:

"O zagueiro Dedé apresentou um edema ósseo no joelho esquerdo decorrente do longo tempo de restrição de atividades devido à cirurgia no joelho direito. Trata-se de um mecanismo de auto-proteção e, naturalmente, ocorre uma sobrecarga no membro contrário ao da cirurgia", contou na ocasião.

A princípio, Dedé se ausentaria dos gramados por até seis semanas. Entretanto, passaram-se quase dois meses desde o diagnóstico do problema.