Esportes

Nilmar faz exames médicos no Santos e pode ser contratado

.

DASSLER MARQUES E SAMIR CARVALHO

SÃO PAULO, SP (UOL/FOLHAPRESS) - O atacante Nilmar, ex-Internacional e Corinthians e que estava no Al-Nasr, dos Emirados Árabes, pode ser contratado pelo Santos para o restante da temporada. Por conta de histórico de lesões no joelho, a diretoria santista pediu para que o atleta seja submetido a exames antes de definir as negociações.

A ideia da diretoria do Santos é acertar um salário fixo, que não ultrapasse o teto salarial do clube paulista, e mais "produtividade" para o atacante de 33 anos.

Nilmar já havia sido oferecido no início do ano, mas a cúpula alvinegra e o técnico Dorival Júnior recusaram a contratação. No entanto, a má fase de Ricardo Oliveira e a baixa média de gols de Kayke e Rodrigão, fizeram a diretoria santista mudar de ideia.

Uma foto de Nilmar no CT Rei Pelé já circula nos grupos de WhatsApp de torcedores do Santos. A diretoria santista investigou quem bateu a foto. Como existem câmeras no local, os funcionários do clube já sabem que foi o autor – uma pessoa ligada a um jogador do elenco.

O UOL Esporte revelou na última sexta-feira que o Santos já negociava a contratação de um centroavante de expressão, que chegasse para ser titular da equipe santista.

PIOR MÉDIA

Ricardo Oliveira, titular absoluto nas duas últimas temporadas, vive um momento difícil. Em 2017, o camisa 9 já desfalcou o time por causa de caxumba, corte na orelha profundo, lesão no tornozelo e pneumonia. O atacante de 37 anos tem a pior média de gols entre os centroavantes do Santos. Até agora ele disputou 17 jogos e marcou apenas quatro gols, média de 0,23.

Kayke, o atual titular, vem logo em seguida. O camisa 11 disputou 21 jogos e marcou sete gols, média 0,33. A melhor média é de Rodrigão. O centroavante, que ainda não foi utilizado por Levir Culpi, disputou nove partidas e marcou quatro gols, média de 0,44.

Além dos centroavantes de origem, Bruno Henrique e Thiago Ribeiro já foram testados na função durante os jogos. Mesmo assim, a média deles também não anima comissão técnica e diretoria santista. O primeiro disputou 29 jogos e marcou seis gols, média 0,20. Já Thiago Ribeiro fez três gols em dez jogos, média de 0,30.