Esportes

Daniel Alves diz que seleção foi 'do nada ao tudo' com chegada de Tite

.

SÃO PAULO, SP (UOL/FOLHAPRESS) - O lateral Daniel Alves descreveu o que mudou com a troca de Dunga por Tite no comando da seleção brasileira em entrevista a Fifa publicada nesta sexta-feira (7). O jogador da Juventus destacou que o principal motivo para o crescimento após a mudança foi ter uma ideia de jogo.

"Acredito que a diferença é ter uma ideia mais clara e isso nos permitiu ir do nada ao tudo", opinou o lateral, que se mostrou cauteloso com o otimismo após a série de vitórias com Tite no comando.

"Obviamente estamos muito felizes, mas conscientes de que nem antes era tão desastroso nem agora é tão fenomenal. Somos os mesmos jogadores e, embora a ideia de jogo seja diferente, antes tínhamos a mesma dedicação", afirmou.

Com a classificação garantida à Copa do Mundo de 2018, a seleção não jogará a Copa das Confederações deste ano. Membro das duas últimas campanhas do Brasil em Mundiais, Daniel Alves disse ter aprendido com as experiências anteriores e destacou que o mais importante é que a seleção chegue ao auge na Copa, e não um ano antes como ocorreu em 2009 e 2013.

O lateral da Juventus também comentou o nível de dificuldade das Eliminatórias da América do Sul. Na visão dele, é a mais complicada do mundo e a que mais exige adaptação dos jogadores. "Tem que ir para Bolívia, Equador, Venezuela. Campos difíceis, com ambientes hostis. O importante é estar preparado e não há desculpas, a eliminatória testa sua maturidade", declarou.

Daniel Alves ainda disse acreditar que a Argentina se classificará para a Copa, apesar da fase difícil que vive nas eliminatórias. "É uma seleção histórica, a história conta muito e, claro, tem muitos bons jogadores. É difícil imaginar um Mundial sem os melhores, e a Argentina tem Messi, Mascherano e muitos outros", concluiu.