Esportes

Tribunal suíço avalia se pode julgar "caso Victor Ramos"

.

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - O "caso Victor Ramos" segue sem um desfecho. Depois de cinco horas de duração, a audiência desta terça-feira (4) foi suspensa pelo TAS (Tribunal Arbitral do Esporte), na Suíça, após pedido do Vitória. O clube baiano questionou se o tribunal suíço é o órgão competente para analisar a suposta irregularidade na inscrição do zagueiro Victor Ramos no Brasileirão de 2016.

De acordo com os advogados do Internacional, o TAS responderá em até 48 horas se avança e marca uma nova audiência ou se anuncia que não tem competência para analisar o mérito da ação - que fala em erro da CBF e do Vitória no trâmite de registro do jogador.

"Fizemos uma argumentação de uma preliminar do processo pedindo para que os árbitros analisassem a competência do tribunal para julgar. Consideramos que o tribunal não é competente para julgar esta matéria em razão de que o Inter faz um questionamento de uma decisão da procuradoria de justiça desportiva, e não foi decisão do superior tribunal. Então, não caberia ao TAS realizar uma alteração nesta decisão do procurador", disse Augusto Vasconcellos, diretor jurídico do Vitória, em vídeo divulgado na conta do clube no Twitter.

O Internacional aposta em um julgamento técnico, onde possa apresentar as evidências que colheu para confirmar a tese de que houve erro e a irregularidade pode influenciar na classificação final do Campeonato Brasileiro do ano passado e recolocar a equipe gaúcha na primeira divisão.

"A audiência correu bastante bem, houve uma interrupção para o painel deliberar e dentro de dois dias seremos comunicados se haverá uma nova audiência", declarou Gustavo Juchem, diretor jurídico do Internacional. "Estamos tranquilos no sentido de que o trabalho está sendo bem feito. Os argumentos estão sendo bem colocados. Temos confiança de estar buscando o certo", completou.

Para o Vitória, o fim da audiência teve gosto de triunfo. "Os árbitros consideraram a nossa preliminar, suspenderam a audiência para analisar a liminar e acredito que foi uma vitória do Esporte Clube Vitória e da CBF, porque consideramos a suspensão desta audiência é fundamental porque o mérito sequer foi analisado. É uma boa notícia, mas continuaremos vigilantes para evitar qualquer tipo de surpresa", afirmou ainda.

O Internacional relutou em demonstrar decepção com o pedido e acolhimento do TAS. "Era uma das possibilidades (paralisação para análise de competência), não há (frustração). De forma alguma", comentou Juchem.