Mais lidas
Esportes

STJD diz que laudos comprovam falsificação do Inter no caso Victor Ramos

.

PORTO ALEGRE, RS (UOL/FOLHAPRESS) - Através de seu site oficial, o STJD informou que os laudos realizados nos documentos utilizados pelo Inter no 'Caso Victor Ramos' comprovam adulteração. O vice jurídico do clube e o ex-presidente Vitório Píffero não estiveram presentes para se manifestar na sede da entidade, nesta quinta-feira (30). Uma nova data será marcada para as explicações.

"As oitivas foram agendadas para a data de hoje após Mauro Marcelo ter finalizado a parte investigativa do inquérito e recebido os laudos/pareceres elaborados por peritos de São Paulo e Rio de Janeiro, que comprovaram a falsificação de parte dos e-mails inseridos em processos de interesse do Inter, tais como adulterações de: "forma e conteúdo, subtração de palavras, textos, nomes e frases, além de inserção indevida de palavras, letras e assinaturas, modificações essas de conteúdo capazes de descaracterizar o seu sentido original"", diz trecho da nota publicada no site oficial da entidade.

A denúncia de documentos falsos foi encaminhada pela CBF e aceita pelo STJD, que analisa a situação. Sem a presença do vice jurídico Gustavo Juchem e do ex-presidente Vitório Píffero, que alegaram problemas de saúde e compromissos particulares para não se manifestarem nesta quinta, uma nova data será marcada.

ENTENDA O CASO

O Internacional entrou com processo alegando a inscrição irregular do jogador Victor Ramos pelo Vitória no ano passado. Sob a ótica vermelha, o jogador não poderia ser inscrito pelo rubro-negro baiano porque sua transação foi realizada fora do período de transferências internacionais.

A CBF alegou que o jogador estava, antes, no Palmeiras e sua documentação não voltou ao clube de origem, o Monterrey, do México, dono dos direitos do atleta.

Em sua defesa, o Internacional utilizou documentos em que supostamente o diretor de registros da CBF, Reynaldo Buzzoni, indicava o Vitória a proceder a transferência internacional do jogador. A CBF, por sua vez, alegava a falsidade destes documentos.

Segundo informou o STJD, os laudos realizados no material comprovaram a versão da entidade.

CONTESTAÇÃO

Enquanto isso, o Internacional contesta o sorteio do relator do processo, Mauro Marcelo. Indicado ao STJD pela CBF, o clube tentou barrar a presença dele na condução do caso, mas sem sucesso.

×

Newsletter

Conteúdo direto para você:

Quero Receber