Esportes

Em jogo sem emoção, São Paulo e Vasco ficam no empate

Da Redação ·
 São Paulo tentou e Vasco se defendeu. Resultado foi empate sem gols
fonte: Divulgação
São Paulo tentou e Vasco se defendeu. Resultado foi empate sem gols

Com focos diferentes, São Paulo e Vasco se enfrentaram na noite desta quarta-feira, no Morumbi. As equipes mostraram futebol completamente opostos - São Paulo pressionou e Vasco nem chutou a gol -, mas não sairam da igualdade no placar com o empate sem gols.

continua após publicidade

Sem emoções

O primeiro tempo foi sem muitas emoções. O São Paulo, com mais posse de bola, tomou a iniciativa e levou mais perigo à defesa adversária, mas esbarrava na falta de pontaria e nas boas defesas de Fernando Prass. Já o Vasco, acuado, apostava nos contra-ataques, porém, com um Allan pouco inspirado, sentiu a falta de um homem de criação no meio de campo.

continua após publicidade

A tônica da etapa inicial foi o excesso de passes errados, o que atrapalhou as duas equipes. O Tricolor paulista tinha como principal arma as investidas de Fernandinho, que deu trabalho à dupla Dedé/Fernando. Porém, o mais perto que os comandados de Baresi chegaram de abrir o placar foi apenas aos 43 minutos, quando Jean cobrou falta de longe e acertou o travessão.

Por outro lado, o Vasco parece ter sentido, e muito, a falta de Carlos Alberto e pouco criou. Os voltantes se mostravam nervosos e não conseguiam sair jogando com a mesma qualidade de partidas anteriores. Allan, perdido em campo, quase não encostou na bola. Éder Luís e Zé Roberto até voltaram para buscar jogo, mas pouco adiantou e o time terminou sem um chute ao gol de Rogério Ceni.

Sem criatividade e sem gols

continua após publicidade

Os 45 minutos finais não foram muito diferentes do que o panorama da partida mostrava: um São Paulo com mais gana atrás do gol e um Vasco, com medo de ir ao ataque, continuou sem chutar a gol.

O Tricolor paulista mantinha maior posse de bola e passou a abusar das jogadas pelas laterais. Com Fernandão em campo, as bolas aéreas, principalmente pela direita, com Jean, foram as principais saídas em busca do gol.

continua após publicidade

A equipe de São Januário, por sua vez, continuava sem criar algo perigoso aos defensores paulistas e era traída pela ansiedade de seus jogadores, que ainda erravam muitos passes e apelavam para os chutões.

Apesar de o Vasco ter jogado parte do segundo tempo com quase todos os seus jogadores no campo defensivo e o São Paulo pressionar, o placar não foi modificado e a partida terminou em em um 0 a 0 muito sem graça e que não foi bom para nenhum dos lados.

continua após publicidade

Agora, o Vasco, com 22 pontos, encara o Cruzeiro, em São Januário, no próximo sábado. O São Paulo, com 18, pega o líder Fluminense, no domingo, no Maracanã.