Mais lidas
Esportes

Faixa de capitão "turbina" desempenho de Dudu, que mira seleção

.

DANILO LAVIERI

SÃO PAULO, SP (UOL/FOLHAPRESS) - Dudu é considerado por boa parte da torcida e da imprensa esportiva o melhor jogador do Palmeiras. Alguns falam até em melhor do país no momento. Honrando o apelido de "guerreiro" dado pelos palmeirenses, o camisa 7 mantém uma regularidade que impressiona e o credencia a uma vaga na seleção brasileira. O golaço em cima de Denis, na vitória por 3 a 0 em cima do São Paulo, foi a cereja do bolo.

O salto de qualidade do atacante se consolidou após assumir o posto de capitão da equipe. Com problemas disciplinares no passado, o jogador recebeu a faixa das mãos de Cuca e imediatamente mudou a postura em campo, inclusive na relação com os árbitros.

O Palmeiras já jogou com Dudu como capitão em 29 ocasiões e só perdeu em quatro delas. São 19 vitórias e outros seis empates. Isso significa um aproveitamento de 72% dos pontos. Com a faixa no braço, ele já balançou as redes adversárias em cinco ocasiões.

Atualmente, ele é o atleta do elenco que mais fez gols em clássicos, com sete, mesmo número de Rafael Marques. Ele também é o maior goleador do Allianz Parque, com 14 gols.

Sem o cargo de capitão, o atacante já vestiu a camisa alviverde em outras 86 ocasiões e o aproveitamento despenca para 56,6%.

A faixa, aliás, foi um presente de Cuca. Depois de alguns entreveros entre eles, especialmente por discussão sobre a marcação exercida pelo atleta, o ex-treinador palmeirense resolveu dar uma chance ao atacante e não se arrependeu.

Considerando apenas o desempenho em 2017, Dudu já fez nove jogos e dois gols. O que mais impressiona, no entanto, é o número de assistência: são seis.

Para termos de comparação, durante toda a temporada passada, ele registrou 12 assistências. Ou seja, em pouco mais de um mês, ele já atingiu metade dos passes para gol que deu em 2016. Em 2015, ele também deu 12 assistências.

Com dois títulos com a camisa do Palmeiras, ele já começa a ver com mais normalidade ser chamado de ídolo e tem sido um dos mais comemorados na hora da escalação do estádio. Sua importância também foi reconhecida pela diretoria, que adquiriu recentemente 100% de seus direitos.

O próximo passo para a carreira de Dudu será alcançar uma vaga na seleção brasileira. Convocado para representar o time que levava apenas jogadores que atuavam no país, no amistoso contra a Colômbia em janeiro, ele espera uma chance de disputar as Eliminatórias.

O problema para ele, no entanto, é a forte concorrência para o setor. Nomes como Philippe Coutinho, Neymar e Douglas Costa são exemplos que o camisa 7 precisará lidar para vestir a amarelinha.

×

Newsletter

Conteúdo direto para você:

Quero Receber