Mais lidas
Esportes

Mancha perdeu a ideologia com a chegada de pessoas ruins, diz Serdan

.

GUILHERME SETO

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - Presidente de honra da escola de samba Mancha Alviverde, Paulo Serdan diz que o clima violento que envolve a torcida organizada atualmente diz respeito a uma "perda de ideologia". Durante o velório de Moacir Bianchi, 49, um dos fundadores da organizada que foi assassinado com 22 tiros nesta quinta-feira (2), o ambiente era tenso, com diversas "rodinhas" de conversa que não se relacionavam.

"Não tem como negar [que existe uma briga entre facções da organizada]. Os áudios estão circulando, existem os comentários na internet. O que aconteceu foi que a entidade perdeu a ideologia. Já faz alguns anos que pessoas ruins se aproximaram de pessoas da diretoria, e isso foi afastando as pessoas boas", disse Serdan, um dos melhores amigos de Bianchi.

Segundo ele, Bianchi estava "ansioso" em relação a uma reunião que aconteceria na sede da Mancha na quarta-feira (1) e que trataria dos conflitos na entidade.

"Falava com ele todos os dias. Ele queria levar a paz, queria juntar os diferentes grupos em briga, mas não conseguiu, não deu tempo, completou.

Serdan ainda ressaltou que seria leviano relacionar as brigas internas ao assassinato de Bianchi. "Não dá para bater o martelo".

Sobre a suspensão das atividades da organizada por tempo indeterminado, ele disse que "se for para continuar do jeito que está, melhor nem voltar".

O CRIME

Bianchi foi encontrado morto por volta das 4h por policiais na avenida Presidente Wilson, na altura do número 3.100, no bairro do Ipiranga, na zona Sul de São Paulo. Ele recebeu cinco tiros no abdome, cinco no pescoço, três no ombro direito, um no rosto, um no lado direito do tronco, cinco no braço direito, um na perna direita e um na cabeça.

Uma testemunha relatou que quando Bianchi, que estava dirigindo um veículo Honda City, parou no semáforo, outro veículo parou atrás dele. Os suspeitos saíram do carro e fizeram os disparos, fugindo em seguida. O caso está sendo investigado pelo DHPP (Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa).

Segundo a reportagem apurou, a Polícia Civil está ouvindo parentes e amigos da vítima para montar seu perfil. Com dados levantados até agora, trabalham com duas principais linhas de investigação.

Uma delas é que o assassinato pode estar ligado a uma disputa interna pelo comando da torcida organizada. Os policiais foram informados sobre uma briga, ocorrida nos últimos dias, entre dois setores dessa organizada.

Nas últimas semanas, comentários nas redes sociais e áudios compartilhados por WhatsApp tratam de rivalidade entre membros de facção da organizada ligada à zona sul e outros da zona leste. A rixa teria resultado em confronto físico abrangendo agressões ao atual presidente da organizada, Nando Nigro, há duas semanas. A reportagem tentou contato com diversos membros da Mancha, que preferiram não se pronunciar.

Outra possibilidade investigada pelo DHPP é de um possível acerto de contas envolvendo a vida empresarial de Bianchi, ligado a bares e casas noturnas. Nesse aspecto, é investigado se algum inimigo determinou o assassinato do empresário para se vingar de eventual litígio.

×

Newsletter

Conteúdo direto para você:

Quero Receber