Mais lidas
Esportes

Ministro minimiza abandono em estruturas olímpicas

.

SÃO PAULO, SP (UOL/FOLHAPRESS) - O ministro do Esporte Leonardo Picciani (PMDB) minimizou o abandono em que se encontram as estruturas olímpicas no Rio de Janeiro. Em entrevista ao "SporTV" nesta sexta-feira (17), o político tachou a situação de "período de transição" e ainda argumentou que a capital carioca tem feito o processo melhor do que Pequim e Londres, duas sedes que antecederam a cidade brasileira.

"É importante esclarecer que existe um período de transição entre o modo jogos e o modo legado. Neste momento, ocorrem no parque olímpico obras e intervenções e adaptações de um modo para outro. Teremos dois estádios que vão ser desmontados: Arena do Futuro e o estádio aquático", afirmou.

"Estamos em um período de cinco meses. Londres e Pequim demoraram pelo menos um ano nessa transição, Londres demorou dois. Portanto estamos neste período e mesmo assim, no que tange a parte do ministério, que é a administração de quatro arenas, já iniciamos em parceria com o comitê, confederações a confecção de um calendário de confecções e treinamento dos atletas de alto rendimento. E iniciamos na semana passada projetos sociais com 200 crianças que estão utilizando as estruturas do parque olímpico na prática do futebol, voleibol e capoeira", concluiu.

O estado atual de praças esportivas do parque olímpico e do Maracanã repercutiram negativamente na imprensa internacional. Com fotos aéreas, jornais como o inglês "The Guardian" e o norte-americano "USA Today" mostraram a degradação das estruturas olímpicas.

Piscinas vazias ou cheias de água suja, Maracanã com cadeiras destruídas e gramado detonado são algumas das cenas divulgadas mundo afora, dando a entender que o "legado" prometido não foi realizado.

×

Newsletter

Conteúdo direto para você:

Quero Receber