Mais lidas
Esportes

Mustafá descarta rompimento com Nobre e defende Leila Pereira

.

ALEXANDRE PRAETZEL E JOSÉ EDGAR DE MATOS

SÃO PAULO, SP (UOL/FOLHAPRESS) - Um nome ganhou força no atual momento político do Palmeiras. Velho conhecido da política palestrina, o ex-presidente Mustafá Contursi abraçou a candidatura do casal José Roberto Lamacchia e Leila Pereira, donos da Crefisa, ao Conselho Deliberativo do clube. O antigo mandatário prestigiou o evento de lançamento de Leila na última quarta-feira.

Em uma noite dedicada à proprietária da patrocinadora do clube, que acertou detalhes da renovação por dois anos em almoço com Mauricio Galiotte, Mustafá Contursi também aproveitou para falar, após tempos de silêncio. O ex-dirigente, inclusive, se recordou de Paulo Nobre.

Hoje com o antecessor da presidência em lado oposto na política do Palmeiras – Nobre defende a impugnação da provável eleição de Leila Pereira ao Conselho -, Mustafá tratou de discursar de maneira política sobre o último presidente palmeirense. Qualquer rompimento foi negado.

"Não há nenhuma razão para que ninguém rompa com Paulo Nobre. Ele começou a sua trajetória na minha diretoria, nos anos 90, sempre o levei em grande consideração", disse Mustafá Contursi, que prevê um Nobre participativo ainda no dia a dia palmeirense.

"Não podemos deixar de reconhecer a grande contribuição dele para com o Palmeiras. Essa contribuição que ele continuará dando com as suas atividades dentro dos órgãos do Palmeiras, como membro honorário do COF", afirmou Mustafá.

Apesar do discurso elogioso a Nobre, o presidente palmeirense na Era Parmalat se encontra em um lado oposto ao do último presidente na questão da candidatura de Leila Pereira. Foi Contursi quem defendeu a presença da proprietária da Crefisa no quatro de sócios desde 1996; um grupo de associados questionou esta data nos últimos dias.

Mustafá, em contrapartida aos opositores, ratificou a sua posição sobre o assunto e garantiu a legibilidade de Leila Pereira para o pleito – apenas pessoas associadas a mais de oito anos podem concorrer a cargos dentro do Palmeiras.

"Depois de mais de 65 anos de associado; conselheiro vitalício desde 1973; ex- presidente e sócio grão-benemérito… Depois de todas essas participações no Palmeiras, não tenho que discutir a credibilidade das minhas informações", limitou-se a dizer.

A entrada de Leila Pereira reforçou a influência de Mustafá Contursi dentro da política palmeirense. Ele, no entanto, minimiza qualquer poder dentro do Conselho Deliberativo, mesmo com a possibilidade de emplacar alguns candidatos da chapa Palmeiras Forte –Leila, provavelmente, a mais votada– no próximo Conselho Deliberativo.

"Sou apenas 1 dos 300 avos do Conselho do clube. Não me considero nem forte e nem poderoso; e nem pretendo ser. Só não irei contra os meus conceitos dentro do clube", sentenciou.

×

Newsletter

Conteúdo direto para você:

Quero Receber