Mais lidas
Esportes

Nadal bate Dimitrov em quase 5 horas e volta a decidir com Federer

.

SÃO PAULO, SP (UOL/FOLHAPRESS) - O tão esperado duelo entre Rafael Nadal e Roger Federer na final do Aberto da Austrália é agora uma realidade. Nesta sexta-feira (27), o espanhol derrotou o búlgaro Grigor Dimitrov por 3 sets a 2 (6/3, 5/7, 7/6 [7/5], 6/7 [4/7] e 6-4) em duelo de quatro horas e cinquenta e seis minutos de duração, e avançou à final do torneio pela quarta vez em sua carreira.

Federer e Nadal não faziam uma decisão de um Grand Slam desde junho de 2011, quando o espanhol conquistou o título ao vencer por 3 sets a 1. No total, já duelaram oito vezes em final de Majors, com seis títulos de Nadal.

A final de domingo, às 6h30 (horário de Brasília) será a segunda entre os tenistas no Aberto da Austrália. O único encontro ocorreu em 2009, quando Nadal venceu o rival por 3 sets a 2 (7/5, 3/6, 7/6, 3/6 e 6/2) em partida de 4h23 de duração. Em toda a história, o clássico ocorreu em 34 oportunidades, com uma larga vantagem de Nadal. São 23 vitórias e apenas 11 derrotas.

"Espero me recuperar bem. Para mim é privilégio poder jogar contra ele (Federer). É algo especial para nós dois ter a chance de competir um contra o outro depois de tanto tempo e problemas", disse Nadal se referindo ao problema que teve no punho e o fez encerrar antes a temporada de 2016 e a lesão no joelho de Federer que o afastou da quadra por seis meses.

"No fim do ano ele esteve na abertura da minha academia em Mallorca e ele disse que deveríamos fazer uma partida de exibição. Nenhum dos dois imaginávamos que poderíamos estar aqui", completou.

Com o revés nesta sexta-feira em Melbourne, Dimitrov perdeu a chance de chegar à final de um Grand Slam pela primeira vez na carreira. A outra vez que havia chegado a uma semifinal fora em Wimbledon-2014. O búlgaro, entretanto, pulará da 15ª para a 12ª posição do ranking mundial a ser divulgado na segunda-feira (30).

Esta foi a sua primeira derrota em 11 partidas em 2017. Na primeira semana de janeiro, ele conquistou o ATP 250 de Brsibane (AUS) ao vencer cinco jogos e no Aberto da Austrália havia vencido outras cinco.

Nadal, que começou o torneio na nona colocação, já garantiu pelo menos a subida para o sexto posto e poderá ir ao quarto. No domingo, fará a sua 21ª final de um Grand Slam. Até hoje tem 14 vitórias e seis derrotas.

NADAL DOMINA O PRIMEIRO SET

O espanhol não teve problemas contra Dimitrov no início da partida. Com uma tática agressiva e cinco de seis pontos ganhos nas subidas à rede e 18 de 20 nos quais encaixou o primeiro serviço, Nadal pressionou o rival e rapidamente conseguiu uma vitória por 6 a 3.

A única quebra, que acabou sendo decisiva, veio no quarto game após o búlgaro errar um voleio relativamente fácil. Após um primeiro set bem rápido, o segundo foi longo, com pouco menos de uma hora e dez minutos de duração. E toda a emoção e tensão que faltava até então na partida, apareceu.

A parcial foi marcada também por diversas quebras, sendo cinco no total, três a favor de Dimitrov e duas a favor de Nadal. A primeira vez que o espanhol foi quebrado foi quando sacava com 1/2 para ficar em desvantagem de 1/3. Neste quarto game, Nadal levou advertência do árbitro por extrapolar o tempo de 25 segundos para sacar e ficou irritado. Daniel Valverdu, técnico do búlgaro, estava controlando e tempo e já havia se queixado.

O momento parecia estar virando para Dimitrov, mas o búlgaro se complicou sozinho. Quando sacava para fazer 5 a 2, fez uma dupla falta acertando a rede e acabou quebrado. Mas na sequência, Nadal devolveu a gentileza.

O festival de quebras seguiu e Dimitrov teve tudo para fechar o set em 6 a 3 no seu saque, mas mais uma vez não soube aproveitar e permitiu que o adversário reagisse e ficasse com 4/5. E o décimo game foi dramático, com Nadal tendo de salvar quatro set points para deixar o placar em 5 a 5. O búlgaro, porém, não se abalou. Confirmou seu saque e na sequência a terceira quebra para deixar o jogo em 1 a 1.

O quarto set foi o único sem nenhuma quebra de saque. Os dois tenistas foram tão bem em seus serviços que ao longo de 12 games não houve break point para qualquer um dos lados.

Assim mais uma vez a parcial precisou ser decidida no tie-break. E diferentemente do que ocorreu no terceiro set, Dimitrov levou a melhor. Ele abriu 5 a 2 e mesmo desperdiçando um set point quando sacou em 6 a 3, teve frieza para na sequência fechar em 6 a 4.

Ele serviu com força na direita de Nadal, que viu a devolução flutuar e parar na rede.

DIMITROV NÃO SE ENTREGA

O quinto set foi uma batalha que parecia que seria interminável. O equilíbrio no placar perdurou até o nono game. Mas aí Rafael Nadal elevou o nível e passou a jogar como não havia feito até então na partida. O espanhol colocou muita pressão no búlgaro e obteve uma quebra que se provaria decisiva.

Mas não foi fácil para Nadal fechar a partida e garantir a vaga na decisão. Antes de ver Dimitrov mandar uma bola para fora e poder comemorar, desperdiçou dois match points.

×

Newsletter

Conteúdo direto para você:

Quero Receber