Esportes

Reforços pontuais substituem barca e Cruzeiro diminui 75% das contratações

.

ENRICO BRUNO

BELO HORIZONTE, MG (UOL/FOLHAPRESS) - Gilvan de Pinho Tavares inicia seu último ano de mandato como presidente do Cruzeiro. Sentado na cadeira principal do clube, o mandatário já viveu dias de glórias com o bicampeonato brasileiro e outros de tensão com as recentes ameaças de rebaixamento. Porém, o fim de temporada animador em 2016 deu mais tranquilidade e confiança para a diretoria. Satisfeito com a base do time que já tem em mãos, a agremiação mudou sua política de reforços e abriu mão das recentes barcas de jogadores: a meta para 2017 é de contratar menos e melhor. Até o momento, somente quatro jogadores atletas foram anunciados, número bem abaixo dos 16 que desembarcaram na Toca da Raposa no ano passado.

Diogo Barbosa e Caicedo foram os primeiros nomes a serem confirmados pela diretoria, ainda no encerramento do último Brasileirão. No mercado da bola, o clube só voltou a efetivar um nome na véspera do Natal, com o volante Hudson. Fechando a lista, Thiago Neves foi confirmado nesta semana como ’presente de aniversário’ e principal reforço para a temporada.

No início de 2016, oito jogadores já haviam chegado ao Cruzeiro antes do início dos jogos. Desta primeira barca, meta nem está mais no atual plantel (Rafael Silva, Douglas Coutinho, Sánchez Miño e Marciel). Dos restantes, somente Lucas Romero foi constantemente aproveitado, enquanto Bruno Nazário, Pisano e Gino pouco jogaram. Até o final da temporada, outros oito atletas desembarcaram em Belo Horizonte (Bryan, Lucas, Ezequiel, Edimar, Robinho, Rafinha, Rafael Sóbis e Ábila).

Este também deverá ser a temporada mais magra de contratações na era Gilvan. Desde que assumiu a presidência do clube, a lista de reforços nunca alcançou menos de dez por temporada. Em seu primeiro ano, em 2012, o presidente trouxe 21 atletas, número que aumentou para 19 em 2013. Apesar do título brasileiro, a equipe voltou a contratar muito e se reforçou com 10 jogadores em 2014 e 13 em 2015. No ano passado, como já informado, foram 16.

Recentemente, o presidente confirmou que o elenco do Cruzeiro está praticamente fechado. Com a chegada de Thiago Neves, o clube aguarda apenas por uma resposta de Marcelo Moreno. Há cerca de um mês, o boliviano analisa a proposta celeste. Contudo, para retornar ao clube, terá que abrir mão do pagamento de luvas e ainda aceitar diminuir suas remunerações mensais na China, que giram em torno de R$ 1 milhão.